Cerimônia marca o encerramento das atividades do Hospital de Campanha em Varginha e presta homenagem às vítimas da Covid-19

Com melhora nos índices voltados à Covid-19, hospital foi oficialmente desativado nesta quinta-feira (30). Cerimônia marcou, também, homenagens às vítimas do coronavírus na cidade.

Redação CSul / Foto destaque: Agnaldo Montesso

Na manhã desta quinta-feira (30), uma cerimônia no auditório da Unifal, marcou oficialmente o encerramento das atividades no Hospital de Campanha. Estiveram presentes, dentre outros, autoridades; profissionais da saúde e religiosos. No encontro, foram feitas palestras, agradecimentos e orações pelas vítimas do vírus e também aos familiares que vivenciaram as perdas.

Em sua fala, o Prefeito de Varginha, Vérdi Melo, salientou que o momento não é de comemoração, mas de fé e renovação. “Estamos vivendo um momento de reflexão, de renovação, de acreditar na vida, de acreditar em Deus, por essa oportunidade que nós estamos tendo de ter combatido o bom combate e ao mesmo tempo estarmos vivos”.

Agnaldo Montesso

Ainda em sua fala, o chefe do Executivo prestou seu reconhecimento e agradeceu aos servidores e a diretoria da Unifal. Vérdi reforçou, também, a importância de permanecer seguindo todas as orientações e protocolos sanitários. Durante sua fala, o prefeito ainda destacou que outros procedimentos terão andamento. “Vamos depositar os esforços na atenção básica. Retomaremos com as cirurgias e outros procedimentos que ficaram parados com a pandemia”, concluiu o prefeito.

Inaugurado em junho de 2020, a unidade contou com o apoio de 195 servidores e atendeu 685 pacientes. O Hospital de Campanha teve sua estrutura fixada nas instalações do campus da Universidade Federal de Alfenas, próxima a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Para o diretor da Unifal, Paulo Roberto Rodrigues de Souza, a desativação da unidade é simbolo do bom trabalho. “A desmobilização do Hospital de Campanha retrata que a pandemia está cessando e que nós fizemos nosso papel, um bom trabalho. Eu quero destacar aqui o caráter público da universidade; ela é mantida com recursos públicos e nós não tínhamos nenhuma outra alternativa se não atender as demandas da sociedade”, disse.

Religiosos fizeram orações

Durante a cerimônia, os religiosos Padre Rafael e o Pastor sênior Arlei Carvalho, realizaram preces agradecendo pela vida e à Deus.

“Eu sugiro que, desde o início, a gente exalte o nosso Deus criador e, depois, que a gente peça perdão, se em algum momento durante esse tempo, nós não fomos o suficientemente comprometidos com tantos e tantos irmãos que precisaram de nós. Às vezes pela nossa limitação humana, às vezes por falta de recursos, que infelizmente não dependiam da gente”, afirmou o Padre Rafael, pároco da Paróquia do Divino Espírito Santo.

 “Com o coração cheio de alegria em ver como cada um aqui, durante esses 18 meses, se dedicou, se empenhou, eu gostaria de trazer a memória de vocês, um texto de Salomão, registrado em Eclesiástico 3, que fala sobre a soberania de Deus e como Deus não perde o controle em nenhum momento. Neste texto, a bíblia nos fala que existe um tempo determinado para cada coisa e que existe um propósito debaixo do céu, que é o que nós vivemos”, enfatizou o Arlei Carvalho, Pastor sênior na Igreja Batista da Lagoinha, durante sua oração.

Homenagem às vítimas da Covid-19

Inauguração de memorial ocorreu após cerimônia de desativação do Hospital de Campanha. (Seila Mara/ Prefeitura de Varginha)

Após o encerramento da cerimônia, houve a revelação da placa homenageando as vítimas do vírus na cidade. Depois da revelação da placa dizendo,”Jamais nos esqueceremos”, balões foram soltos, cada um com uma semente, representando as vidas perdidas no município.

Seila Mara/ Prefeitura de Varginha

*Com informações Varginha Online

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.