“Todos os anos o escorpião amarelo é um problema em Varginha”, alerta Setor de Zoonoses

Segundo o médico veterinário e coordenador do Setor de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde, José Eduardo Mambeli Balieiro, é importante manter quintais e lotes limpos.

Redação CSul: Franciele Brígida / Foto destaque: Wikimedia Commons

Com a chegada do tempo quente, é comum a aparição de pragas que, mesmo que presentes o ano todo, nesta época as mesmas se proliferam mais rápido. Com esse fato, é necessário estar atento aos ralos de casa, assim como aos terrenos baldios e entulho nos quintais. Ao CSul, o médico veterinário e coordenador do Setor de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde, José Eduardo Mambeli Balieiro, ressaltou que é importante não colaborar com a proliferação destas pragas.

“Em Varginha, todos os anos o escorpião amarelo é um problema. Esta espécie é a mais comum na cidade e ele é muito perigoso. É importante ressaltar que, as fêmeas desta espécie não necessitam de um parceiro, o que torna a proliferação ainda maior. Esse processo é conhecido como partenogênese; cada ninhada pode resultar em até 30 filhotes”, disse.

Ainda segundo Balieiro, a espécie é um problema endêmico, super adaptável e a população deve estar atenta. “É muito importante não colaborar para a proliferação de pragas, quanto aos escorpiões, temos de estar atentos para não proporcionar, alimento, abrigo e acesso. Devemos sempre manter os quintais limpos, para evitar a proliferação de outras espécies que, podem ser alimento para os escorpiões, bloquear ralos tanto na área interna das residências como na área externa, com o auxílio de panos ou borracha”.

Além dos escorpiões, é importante estar atento a outras pragas como, aranhas, baratas, pulgas, e roedores. Na cidade, semanalmente ocorre o “Mutirão da Dengue”, ação promovida pela Prefeitura de Varginha, com objetivo de recolher materiais inservíveis, toda quarta-feira caminhões percorrem as ruas de um determinado bairro, recolhendo pneus e outros materiais que possam servir de abrigo para mosquitos ou demais pragas.

Para denúncias, disque: Setor de Vigilância Ambiental (3690-2230).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.