“Mar de Minas” atinge 763,8 metros; Deputado Professor Cleiton fala sobre PEC

Furnas registra maior nível desde 2016

O Sul de Minas não tem registrado chuvas, no entanto o Lago de Furnas atingiu 763,8 metros, o maior nível registrado desde 2016. Em novembro de 2019 a represa atingiu um de seus piores níveis com 753,7 metros.

Ponte das Amoras em Alfenas. Foto: Paulo Henrique Corsini/ Jornal dos Lagos

O que muitos não esperavam está acontecendo, as estruturas da Ponte das Amoras localizada na BR-369, entre Alfenas e Campos Gerais, estão sendo cobertas pela água. Para a região o momento é de comemoração já que com a pandemia do novo coronavírus o turismo caiu significantemente, o recorde do nível do lago é um ponto positivo para cidades como, Boa Esperança, Guapé, Fama e Capitólio.

Com o nível registrado atualmente a represa só fica atrás do registro de julho de 2016, quando o lago atingiu 764,6 metros. Atualmente o Lago de Furnas possui um volume útil de 66,95%.

O Deputado Professor Cleiton Oliveira falou com exclusividade ao CSul a respeito da PEC 52, de autoria do próprio, que visa manter uma cota mínima.

Deputado Professor Cleiton falou sobre os planos de aprovação da Pec no pós-pandemia. (Foto: Iago Almeida/CSul)

“Existem estudos concretos que dão conta que mesmo em período de seca a cota 762 é possível, não comprometendo a geração de energia, e por outro lado estabelecendo o chamado múltiplo uso das águas. O próximo passo é exatamente a abertura da chamada comissão especial para análise dessa proposta de emenda constitucional, que já passou pela comissão de constituição de justiça então assim que nos retomarmos os trabalhos, aqui na casa de uma maneira normal, neste período pós-pandemia, imediatamente nos teremos a abertura dessa comissão especial e consequentemente a analise da pec e a aprovação da mesma”, enfatizou.

O deputado ainda disse que a pec não precisa da sanção do Governador Romeu Zema. “Uma pec não precisa de sanção do Governador, a pec estabelece o lago de Furnas como patrimônio, consequentemente a única coisa que o governador deve fazer é colocar o lago no livro de tombo do Estado de Minas Gerais”, explicou.

No pós-pandemia o deputado espera que a pec seja aprovada garantindo o estabelecimento da cota mínima.

Redação CSul: Franciele Brígida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *