Reinfecções por coronavírus estão sendo investigadas no Estado; em Varginha um caso está sob suspeita

Três casos de possíveis reinfecções pelo novo coronavírus estão sendo investigados em Minas Gerais; registros são em: Belo Horizonte, Contagem e Varginha.

Redação CSul/Foto: Gil Leonardi Imprensa MG

Com a confirmação de casos de reinfecção pelo novo coronavírus no mundo, o Governo de Minas orienta profissionais da Saúde com novas medidas referentes ao ressurgimento de sintomas em quem já foi infectado pela doença. A partir de agora, todos os casos positivos para a covid-19 com novo quadro clínico em período maior ou igual a 90 dias da primeira confirmação devem ser testados e notificados ao Estado e as amostras positivas devem ser enviadas à Fundação Ezequiel Dias (Funed), que fará sequenciamento genético para verificar a presença de mutações.

Pelo protocolo, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) considera casos suspeitos de reinfecção aqueles em que a pessoa apresentou novo quadro clínico em período acima de 90 dias do primeiro episódio confirmado laboratorialmente.

“Minas Gerais está acompanhando as pesquisas e conclusões sobre o novo coronavírus em todo o mundo. Em agosto, pesquisadores de Hong Kong confirmaram a primeira reinfecção no mundo pelo novo coronavírus. A partir disso, estamos atentos a qualquer suspeita e pedimos a atenção dos municípios para que casos suspeitos sejam testados e notificados ”, ressalta o secretário de Estado de Saúde (SES-MG), Carlos Eduardo Amaral.

O primeiro caso de reinfecção foi confirmado por pesquisadores chineses e se refere a um homem saudável com o segundo caso de covid-19 diagnosticado 4 meses e meio depois do primeiro. O sequenciamento do genoma mostrou que as duas cepas do vírus são diferentes, o que comprova a reinfecção.

Casos suspeitos

“De acordo com dados atuais, a maioria das pessoas que teve a infecção pelo novo coronavírus fica imune por um período de até três meses. Por esse motivo, casos com ressurgimento de sintomas em menos de 90 dias após confirmação da doença, devem ter outras infecções descartadas”, explica a infectologista da SES-MG, Tânia Marcial.

Em Varginha

Em Varginha, o caso investigado é de um homem de 64 anos que teria contraído novamente a doença em menos de 90 dias após ter se recuperado da primeira infecção. De acordo com o Secretário de Saúde de Varginha, Dr. Luiz Carlos Coelho, o paciente foi diagnosticado com a Covid-19 em 25 de maio e se recuperou.

Secretário de Saúde de Varginha, Dr. Luiz Carlos Coelho, relata sobre possível caso de reinfecção na cidade/Foto: Divulgação

No dia 28 de julho, o paciente foi internado no CTI com síndrome respiratória aguda grave. Um exame realizado no 4 de agosto deu positivo para Covid-19. 

“Ele teve um PCR positivo no dia 25 de maio. Evoluiu com monitoramento, evoluiu para melhora, ficou como recuperado e voltou para as atividades. No dia 26 de julho, ele reiniciou sinais e sintomas e no dia 28 de julho, dois dias depois, foi admitido com síndrome respiratória aguda grave em CTI. Foi colhido outro material, ele tem um PCR positivo novamente no dia 4 de agosto. Ele hoje está bem, ficou bastante tempo em terapia intensiva, entubado nessa segunda vez, evoluiu para melhora, passou para enfermaria e foi para casa de alta”, relatou o secretário de saúde de Varginha, Dr. Luiz Carlos Coelho ao Jornal da EPTV.

Com informações: Agência Minas/Varginha Online/G1 Sul de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *