Em visita ao CSul, equipe da Fundação Cultural apresenta balanços e programação de 2019

Na manhã desta quarta-feira (13), o Diretor-Superintendente da Fundação Cultural, Lindon Lopes, juntamente com a Produtora Cultural, Ana Luiza Romanielo, e o Jornalista Agnaldo Montesso, visitaram o CSul para discutir projetos e assuntos que irão levar cultura para os munícipes durante o ano de 2019. Além dos projetos já existentes, como o 5ª da Boa Música e as feiras culturais, a volta do projeto Na Rota da Boa Música, o balanço da programação do calendário 2019 e revitalizações foram assuntos abordados por Lindon Lopes, que explicou detalhes de todas as ações existentes na Fundação Cultural.

De acordo com Lindon, ele vai “fazer um governo pequeno, de dois anos, mas diante de toda a crise, a gente tem que ser criativo. Vamos ter que usar mais a criatividade do que os cofres públicos. É um desafio para mim nesse momento tão difícil na cultura, assumir a Fundação Cultural. Estou assumindo a Fundação num momento de extrema crise do Brasil, não só de Varginha e quero deixar claro que mesmo com a crise da cultura no país, o prefeito tem mantido a cultura de vento em poupa na cidade, pois ele não cortou a lei de incentivo à cultura, ele manteve e têm 18 projetos em andamento na cidade. Temos dado total apoio as manifestações culturais no município”, disse o diretor.

Agnaldo Montesso / Fundação Cultural
Agnaldo Montesso / Fundação Cultural

Reformas no Theatro Capitólio

No dia 29 de janeiro deste ano foi anunciado que o Theatro Capitólio receberia melhorias, em caráter de urgência, ainda no 1º semestre deste ano. Segundo Lindon Lopes, medidas foram averiguadas e planejadas para o local.

“Vamos através do FUMPAC -Fundo Municipal de Proteção ao Patrimônio Cultural, comprar um som que está realmente precisando, os microfones, fazer uma revitalização nos ladrilhos da entrada, reformar as cortinas, que estão precisando urgentemente. Vamos também terminar as obras do escritório administrativo”, disse ele.

Questionado sobre os recursos para as obras, Lindon explicou que são recursos provenientes da FUMPAC (ICMS Cultural).

“Nós temos o FUMPAC, que são verbas que recebemos com as ações que fazemos através do patrimônio histórico e cultural de Varginha. Fazemos ações durante todo ano e esse dinheiro reverte em valores pra nós, em espécie, e o Estado repassa também um pequeno valor de ICMS pra nós. Nós temos uma conta específica para esse fim e vamos fazer algumas revitalizações no Theatro Capitólio, pequenas coisas pois nosso dinheiro está bem curto. Não vamos usar o dinheiro da Fundação Cultural”, acrescentou.

Sobre a instalação de ar condionado no Theatro, devido às várias reclamações de frequentadores do local, o diretor explicou que “o problema do ar condicionado eu falei com a assessoria do Dimas Fabiano (em Brasília), vamos tentar uma emenda parlamentar para o ano que vem, pois temos que programar. Precisamos fazer um projeto primeiro, pois o ar condicionado ali é complicado. O ar talvez terá que ser instalado no teto, segundo alguns modelos que tivemos de São João da Boa Vista. Teremos que fechar o Theatro para realizar essa obra, por pelo menos quatro meses, mas primeiro precisamos fazer um projeto de toda a infraestrutura do Theatro, além de um projeto elétrico, para saber se a carga elétrica do Theatro suporta esse ar condicionado. O prédio também é tombado (historicamente), o que dificulta o início rápido em obras no local”, explicou ele.

Ele ainda disse que “estamos regularizando também, o projeto de combate de incêndio. O Capitólio ainda não tem o projeto AVCB – Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros, nós conseguimos dar entrada no projeto. O Corpo de Bombeiros apontou 12 irregularidades, nós conseguimos regularizar 8 e agora faltam 4 para recebermos o AVCB. Mas o Theatro não está impedido de funcionar. Também estão andamento os processos de AVCB do Museu Municipal e da Estação Ferroviária”, completou.

Fundação Cultural de Varginha

Cine Rio Branco

Inaugurado em 11 de agosto de 1956, o Cine Rio Branco, completa em 2019, 21 anos desativado. O prédio possui 1480 lugares e é considerada a maior tela de projeção da América Latina. Em 1998, o prédio, que foi tombado pelo Conselho do Patrimônio Histórico de Minas Gerais, hoje vive em completo abandono. Lindon explicou que é complicado a aquisição do prédio, devido a preços e serviços que deverão serem realizados.

“É complicado, primeiro é a compra do local, vendo se os sócios realmente querem vender o prédio. Em seguida, teremos que revitalizar o Cine Rio Branco, que é outro valor e não será muito barato, depois manter o prédio. É algo que terá que ser conversado e estudado”, disse ele.

Márcio Borges / Varginha Online

Projeto Na Rota da Boa Música

Em 2016 e 2017, Varginha sediou o projeto Na Rota da Boa Música, realizado por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais, o que permite valores acessíveis do ingresso. Na primeira edição, o projeto recebeu 4 shows de MPB no Theatro Capitólio. 325 livros foram arrecadados nos shows de Renato Teixeira, Roberta Campos, Diogo Nogueira e João Bosco. Neste ano, o projeto está de volta à cidade, com nomes já confirmados, e terá início já no próximo sábado com o show da banda 14 Bis Acústico.

“Trouxemos o projeto de volta, pois é um projeto que tem um preço acessível, que a lei estadual de incentivo a cultura tem nos beneficiado, pois a lei permite que no máximo o ingresso seja R$ 50,00, já fala isso no edital, então os projetos aprovados já vêm com essa filosofia de preço. É um projeto muito bom que está voltando este ano, tendo mart’nália em abril, Erasmo Carlos, pela primeira vez em Varginha, em maio, um show surpresa que também está sendo preparado, e em junho teremos a Paula Fernandes, todos com o valor de R$ 50,00 no ingresso (R$ 25,00 meia entrada)”, contou Lindon.

Para eventos sem bilheteria, o valor do aluguel do Theatro Capitólio é de R$ 1500,00.

Feiras culturais

Segundo o diretor, várias associações realizam feiras culturais e exposições no Theatro Capitólio e na Casa do Artesão, no Via Café Garden Shopping. Para ele, um planejamento e sorteio bem montados transformam sonhos em sucessos nos trabalhos realizados.

“Sempre no começo do ano, em janeiro, faço um sorteio de datas até julho de todas as associações da cidade, deixando algumas datas de semanas vagas, pois se aparecerem artistas plásticos ou outro tipo de exposição eu possa ter para atender todo dia de associação no local. É inteiramente gratuito e cada associação fica uma semana com suas exposições no local. Quando chega em julho, um novo sorteio é realizado, para a escala até dezembro. Somente duas datas é que fazemos um sorteio especial, dia das mães e Natal, datas que todos querem”, contou ele.

“Reabrimos a casa do artesão no shopping, em local fixo ao lado do Supermercado BH, pagando uma pequena taxa. Nós abrimos lá a vaga para todas as associações que quisessem fazer exposições no local e apenas duas se propuseram a ir pra lá, a Associação dos Aposentados e a Assoart, uma a cada mês”, concluiu.

Revitalização do jardim na Estação

Uma reunião foi realizada com o prefeito Antônio Silva para discutir a revitalização dos canteiros que foram construídos ao lado da Estação Ferroviária. Além da pintura, flores serão replantadas no local e um cuidado especial será destinado após as obras.

“A partir de segunda-feira (18), nós vamos replantar e reativar todos os canteiros que existem ali. Já compramos todas as plantas e o prefeito quer que faça a reativação ali. Vamos também pintar os canteiros. Demoramos um pouco pois precisamos fazer a licitação das plantas”, disse o diretor.

Reprodução / EPTV

5ª da Boa Música

Um dos projetos culturais mais frequentados na cidade, o 5ª da Boa Música está recebendo melhorias e aprimoramento. Segundo o diretor, a iluminação sofrerá mudanças e câmeras foram instaladas no local, além do apoio e reforço da Guarda Municipal e Polícia Militar na segurança para a realização do projeto semanal.

“Quando tomei posse, precisei regularizar alguns itens do 5ª da Boa Música. Chamamos o Pedro Gazolla e pedimos para ele fazer um projeto de iluminação, todas de led e nós vamos instalar. As câmeras já estão em funcionamento no local, para dar maior segurança ao 5ª da Boa Música. Alguns pontos estavam muito escuros e colocamos holofotes para iluminar o local. Estamos trazendo as famílias de volta para o projeto, pois estavam afastadas. Estamos também mexendo muito na programação, trazendo a MBP, o samba, não deixando somente o rock. Estamos agregando o Estação do Samba no 5ª da Boa Música. Fui pessoalmente na Guarda Municipal pedir o apoio no projeto e eles estão indo com oito agentes, para dar seguranças para as famílias e afastar as drogas. Além disso, estamos pedindo apoio do Juizado da Infância e da Juventude para estar no 5ª para evitar menores consumindo bebida alcoólica”, informou Lindon.

A Produtora Cultural, Ana Luiza Romanielo ainda acrescentou que na próxima semana, uma edição especial do projeto está sendo preparada para as mulheres varginhenses.

“Na próxima semana teremos um show duplo em comemoração ao mês da mulher, com o “Grupo Dessas”, formando por mulheres, e em seguida a Banda Plágio, que a vocalista é uma mulher, uma edição especial mesmo para o mês das mulheres”, disse ela.

Reprodução / Divulgação

Feira literária

“Estamos levando a feira literária para a Praça do ET. Estamos criando a Associação dos Escritores e Poetas, para poder ter um presidente e para ele poder nos ajudar, a associação e a fundação, para levar a feira pra Praça do ET para beneficiar os escritores”, informou Lindon.

Projeto de Educação Patrimonial

Com o objetivo de fazer com que os jovens conheçam a história de uma das praças mais antigas da cidade e mostrar a eles como é o processo de preservação e restauração do patrimônio, cerca de 100 alunos do 9º ano do Ensino Fundamental e do 1º Ano do Ensino Médio da E. E. Brasil visitaram na manhã da última terça-feira (12) a obra de revitalização da Praça Dom Pedro II. A visita fez parte do projeto de Educação Patrimonial que está sendo desenvolvido pela Prefeitura de Varginha, por meio da Fundação Cultural.

Segundo Lindon Lopes, diretor-superintendente da Fundação Cultural, “muito em breve o ‘Jardim do Sapo’ vai voltar a ser um dos cartões-postais de Varginha e um ponto de encontro das famílias”.

Fundação Cultural

Coluna “As Locomotivas”

Lindon Lopes, em parceria com Marcos Misael, possuiu uma coluna semanalmente, às quartas-feiras, durante 20 anos no Correio do Sul. Ele começou a escrever no CSul com 18 anos, em 1987. Durante a conversa com o Diretor Superintendente e Editor Chefe, Antônio Carlos Médes Campos, e a redação do CSul, foram relembradas histórias vividas no Jornal e a equipe que trabalhava no local.

Redação CSul – Iago Almeida / Foto: Agnaldo Montesso / Fundação Cultural

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *