Casos de violência doméstica têm redução de 7,25% no segundo semestre de 2019

A Patrulha de Prevenção à Violência Doméstica – PPVD foi implementada na cidade de Varginha em junho de 2018, no serviço de prevenção a violência doméstica, em caráter de segunda resposta, visando propiciar um atendimento mais humanizado à mulher vítima de violência doméstica e familiar, garantindo o encaminhamento aos demais órgãos da Rede Estadual de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, de tal forma que a vítima receba do poder público, no menor tempo possível, a atenção devida ao seu caso.

Dados divulgados nesta segunda-feira (3), apontam redução da violência doméstica na cidade de Varginha, demonstrando que as ações desenvolvidas pela PPVD estão sendo positivas. “Os dados apontam redução da violência doméstica na cidade de Varginha, demonstrando que as ações desenvolvidas pela PPVD estão sendo positivas”, ressalta a Capitã Bianca, comandante da 55ª CIA da Polícia Militar.

A Patrulha é formada por 02 policiais militares qualificados que atuam exclusivamente na atenção às famílias e prevenção à violência. O projeto funciona como uma segunda resposta, que são os acompanhamentos especializados, humanizados, para atender as mulheres em situação de violência doméstica, sendo que fará a identificação do agressor e repassar os trabalhos aos cuidados da patrulha que ficará a cargo de intervir.

O trabalho da patrulha (PPVD) é importante especialmente pelo primeiro acolhimento e a prestação de orientação às vítimas de violência doméstica e conta com o apoio e auxílio de órgãos que lidam diariamente com casos e situações de violência doméstica e essa rede é de grande importância para que os resultados positivos sejam alcançados.

 

Em entrevista ao CSul nesta segunda-feira (3), o Sargento Paulino, da 55ª CIA da Polícia Militar, disse que “atuamos nessa prevenção desde junho de 2018. Fazemos a segunda resposta, o segundo atendimento à vítima após a ocorrência que foi registrado. Trabalhamos na prevenção, orientando a vítima sobre a Lei Maria da Penha, sobre a Medida Protetiva, sobre a rede de enfrentamento à violência doméstica que existe em Varginha, que é o Ministério Público, Poder Judiciário, Creas, Cras, Defensoria Pública, Polícia Civil, são esses órgãos que fazem o atendimento à vítima para que elas tomem as medidas possíveis para cessar a violência”

Segundo o Sargento, ele e a Sargento Bárbara trabalham juntos na ação no município, e tendo uma policial feminina, as mulheres ganham confiança. “É importante a presença de uma policial feminina, pois fica mais tranquilo pra vítima se expressar e expor a situação de violência que ela está vivendo. Ela vai falar pra policial feminina o que pra um policial masculino ela não falaria. É um serviço especializado voltado para o acolhimento da vítima”, enfatizou o militar.

“O trabalho preventivo da Patrulha de Prevenção à Violência Doméstica é orientar a vítima, fortalecer, para que ela possa ter a iniciativa de tomar providência contra o agressor, com o apoio desses órgãos, para que o ciclo da violência seja quebrado”, concluiu o sargento.

Redação CSul – Iago Almeida / Foto: Divulgação PM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *