Valor da cesta básica em Varginha tem alta entre maio e junho

A pesquisa é baseada nos preços de 13 produtos que compõem a cesta básica nacional de alimentos nos principais supermercados da cidade, tendo como base a metodologia do DIEESE.

O Índice da Cesta Básica de Varginha (ICB-UNIS), determinado mensalmente pelo Departamento de Pesquisa do Grupo Unis, teve alta de 0,25% entre os meses de maio e junho. Considerando 12 meses, de junho de 2020 a junho de 2021, o valor da cesta básica em Varginha apresentou alta de 16,44%.

No acumulado do ano de 2021, entre janeiro e junho, houve uma queda de -4,36%. A pesquisa é baseada nos preços de 13 produtos que compõem a cesta básica nacional de alimentos nos principais supermercados da cidade, tendo como base a metodologia do DIEESE.

A pesquisa evidenciou que neste mês de junho o valor médio da cesta básica nacional de alimentos para o sustento de uma pessoa adulta na cidade de Varginha é de R$485,64, o que corresponde a 47,73% do salário mínimo líquido. Sendo assim, um trabalhador que recebe o salário mínimo mensal precisa trabalhar 97 horas e 08 minutos no mês para adquirir essa cesta.

Comparando os preços de junho com maio deste ano de 2021, é possível verificar que, dos 13 produtos componentes da cesta básica pesquisada em Varginha, 6 tiveram elevação nos preços médios: leite integral, café em pó, açúcar refinado, óleo de soja, carne bovina e farinha de trigo. Mais uma vez o pão francês manteve os preços médios inalterados, e seis produtos tiveram queda em seus preços médios: batata, tomate, banana, arroz, feijão carioquinha e manteiga.

Neste mês foi possível verificar que a chegada da nova safra dos hortifrutigranjeiros contribuiu para que a elevação do índice da cesta básica fosse mais moderada. Porém, dois fatores são importantes de serem destacados: essa safra de inverno dos hortifrutigranjeiros é mais restrita e volátil o que pode gerar choques nos preços destes produtos no curto prazo; e a continuidade do aumento nos preços de produtos como carne bovina, óleo de soja e açúcar refinado reforçam a percepção de que a cesta básica continuará impactando fortemente no orçamento doméstico no médio prazo.

Ações e políticas governamentais precisam ser realizadas para minimizar esses impactos, como por exemplo: queda na taxa de câmbio, incentivo à produção regional e venda para o mercado interno, retomada da política de estoques reguladores.

A pesquisa completa pode ser acessada clicando aqui.

Fonte: Grupo Unis/Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.