• (35) 2105-5555
  • csul@correiodosul.com
  • Rua Marcelino Rezende, 26 - Parque Catanduvas

Uvas passas não serão as vilãs da ceia de Natal…

Varginhenses já pesquisam os valores dos principais itens da ceia. CSul lista preços das carnes da época, arroz, itens de guarnição e panetones.

Redação CSul: Franciele Brígida / Foto destaque: Mayra Brígida

Então é quase Natal, com a aproximação da data, consumidores de Varginha já pesquisam os valores das principais carnes e acompanhamentos, todavia ao que tudo indica, a ceia pesará mais no bolso do consumidor.

Devido à crescente alta da inflação, os principais itens sofreram diversas alterações no preço. Os alimentos, atualmente, apresentam uma variação média de 7,93%, que, apesar de ter ficado bem menor do que no mesmo período do ano anterior (28,61%), foi principalmente pressionada pelo valor dos alimentos neste ano. 

Conforme estudo do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getúlio Vargas, dentre as carnes mais procuradas, o frango inteiro foi o que mais subiu e teve alta de 27,34% no preço. Outro protagonista da alta é o ovo, normalmente usado nos acompanhamentos da ceia, o item registrou alta de 20%.

Carnes como o bacalhau (7,98%), lombo suíno (6,48%) e o pernil suíno (3,44%), também apresentaram alteração no valor. Ainda de acordo com a pesquisa, somente o arroz registrou queda (-4,25%). Vale ressaltar que, os dados da FGV são uma variação acumulada em 12 meses, de dezembro do ano passado a novembro deste ano.

Preços em Varginha

Na cidade, quem passa pelos supermercados se depara com vastas opções, porém alguns produtos seguem com um valor salgado. O CSul realizou pesquisa de campo em alguns estabelecimentos de Varginha, a fim de verificar os preços das principais carnes natalinas, assim como outros produtos como ovos, arroz e panetone.

Essencial na mesa dos brasileiros, o arroz branco registrou queda no preço. Na cidade, um pacote de 5kg do produto pode ser encontrado com valores entre R$15,90 e R$22,98.

Tratando-se das carnes da época, quem opta por pernil pode encontrar o quilo da carne entre, R$19,98 e R$23,99. Já aqueles que buscam por uma ceia regada à Fiesta poderão encontrar o produto a R$21,48/kg. Enquanto aos que preferem peru, podem encontrar a ave, entre R$21,48 e R$23,98/kg. Por fim, quem optar por Chester, pode encontrar o quilo da carne a R$22,98.

Outra opção do cardápio é o bacalhau, a tradição de consumir o peixe teve início na Idade Média, onde os cristãos precisavam entrar em jejum obrigatório e não poderiam comer nenhum tipo de carne nas principais festas católicas, como o natal. Em Varginha, o quilo do peixe varia entre R$67,99 e R$119,98.

Quando o assunto é guarnição, os grandes protagonistas são os ovos. Indispensáveis em muitas receitas natalinas e saladas, as bandejas de 20 unidades podem ser encontradas a R$11,99 enquanto as bandejas de 30 unidades podem ser adquiridas a R$ 14,98.

Outro item famoso na ceia do brasileiro é o panetone, com frutas, chocolates e até doce de leite, os panetones são sinônimo de Natal. Em Varginha, o panetone de 400g pode ser encontrado a R$10,69, já os de 500g a partir de R$18,90, enquanto os de 700g podem ser adquiridos a partir de R$23,90.

Variação de até 124,72% no Brasil

Levantamento feito pelo Procon de São Paulo com produtos que compõem a ceia de Natal apontou diferença de preço de até 124,72%. A coleta de preços foi realizada nos dias 29 e 30 de novembro e 1º de dezembro nos sites de sete supermercados.

Foram comparados os preços de 63 dos seguintes itens de diferentes marcas: azeites, bombons, lentilhas secas, conservas, farofas prontas, frutas em calda, panetones, chocotones e carne.

Entre os produtos analisados, um azeite de oliva de 500 ml custava R$ 44,90 em um estabelecimento e R$ 19,98 em outro, diferença de R$ 24,92. Um panetone com gotas de chocolate de 400 gramas foi encontrado a R$ 20,78 em um estabelecimento e R$ 14,99 em outro.

Na comparação com o levantamento feito no ano passado, houve aumento de 17,11% no preço médio.

Especialistas do Procon-SP recomendam planejar o cardápio e montar listas dos alimentos e bebidas antes da ida ao supermercado para evitar compras por impulso. Orientam também que o consumidor faça uma comparação entre os preços praticados pelos diferentes estabelecimentos.

*Valores são baseados em pesquisa realizada no dia 14/12

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.