• (35) 2105-5555
  • csul@correiodosul.com
  • Rua Marcelino Rezende, 26 - Parque Catanduvas

Produção dos Cafés do Brasil no ano-cafeeiro ocupa área de 1,9 milhão de hectares

Safra em produção de Arábica tem área de 1,53 milhões de hectares (80%) e Conilon de 383 mil hectares (20%)

Foto: Guilherme Campos / CSul

A área total utilizada no cultivo dos Cafés do Brasil, incluindo as duas espécies de café, o Coffea arabica (café arábica) e o Coffea canephora (café robusta+conilon), no ano-cafeeiro em curso de 2024, foi estimada em 2,25 milhões de hectares. Desse total, estimativas apontam que 1,9 milhões de hectares estão sendo empregados com lavouras em produção, que correspondem a aproximadamente 85%, e, em complemento, 344,61 mil hectares encontram-se em fase de formação, os quais equivalem a 15% da área total geral.

Neste contexto, se for estabelecido uma simples comparação do total da área das lavouras exclusivamente em produção, em nível nacional, com cada uma duas espécies de cafés, verifica-se, no caso do C. arabica, cuja área total foi estimada em 1,53 milhões de hectares, que tal lavoura representa 80% do total nacional. E, adicionalmente, como o C. canephora teve a sua área em produção calculada em 383,6 mil hectares, constata-se que o cultivo dessa espécie corresponde a aproximadamente 20% da área em produção no ano-cafeeiro 2024.

Com relação especificamente aos cafés da espécie C. arabica, tal estimativa indica que a área ocupada por essa espécie em nível nacional totaliza 1,83 milhão de hectares, dos quais 1,53 milhão de hectares (83%) estão em produção, e, em complemento, que os 306,25 mil hectares restantes encontram-se em fase de formação, os quais equivalem a 17% da área total.

Os dados estatísticos e demais números da performance dos Cafés do Brasil compilados nesta análise e divulgação do ano-cafeeiro 2024, o qual ainda encontra-se em curso, foram obtidos do 2° Levantamento da Safra de Café de 2024, da Companhia Nacional de Abastecimento – Conab, disponível na íntegra no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café.

A Conab realiza e divulga anualmente quatro levantamentos da estimativa da safra de café. Na primeira estimativa, que já foi divulgada em janeiro, foram apresentados os dados apurados em dezembro, que retrataram as fases de definição de produtividade das lavouras. Neste segundo levantamento, do mês de maio, a Conab atualizou as informações do período em que a colheita começou a avançar no País. No terceiro levantamento, previsto para ser divulgado em setembro, as informações são atualizadas após a colheita.

E, por fim, no quarto levantamento, que é realizado após a finalização da colheita, todos os dados da safra serão consolidados e fechados em dezembro. Contudo, vale ressaltar que tais previsões são passíveis de correções e ajustes ao longo de cada levantamento realizado durante o ano-safra, haja vista que informações mais precisas e contundentes somente se consolidam após a finalização de cada colheita.

Com base neste 2° Levantamento da Safra de Café de 2024, depreende-se que a safra total dos Cafés do Brasil, incluindo a soma da colheita das duas espécies, deverá atingir o volume físico de 58,81 milhões de sacas de 60kg beneficiadas, o que representará, caso tais estimativas se confirmem, um adicional de 3,74 milhões de sacas em relação à safra anterior, assim como um acréscimo de 6,8% em relação à mesma base comparativa, que é o ano-cafeeiro 2023.

E, assim, concluindo esta análise, tendo como referência obviamente os números da Conab em tela, como a safra total de C. arabica foi calculada em 42,11 milhões de sacas de café, que correspondem a 71,6% do volume físico em nível nacional a ser colhido, essa espécie terá uma produtividade média de 27,7 sacas por hectare. E, mais que isso, como a safra de C. canephora foi estimada em 16,70 milhões de sacas, volume que representa 28,4% da produção nacional, tal performance constituirá uma produtividade bastante expressiva de 43,6 sacas por hectare, caso tais números se confirmem no fechamento do ano-cafeeiro 2024.

Fonte: Embrapa