No “Setembro Dourado”, Hospital da Criança segue com obras avançadas

Prevista para conclusão em 2022, obra contemplará tratamento ao câncer infantil. Mês é marcado pela conscientização a esta causa.

Redação CSul / Foto destaque: Guilherme Campos/CSul

Até dia 30, o mês é marcado por campanhas de conscientização sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer infanto-juvenil. O “Setembro Dourado”, tem como objetivo alertar profissionais de saúde, pais e a sociedade em geral sobre os sinais e sintomas para a detecção da doença.

Em Varginha, o tratamento oncológico infantil ainda não é uma realidade, sendo assim, os pacientes são encaminhados para unidades de atendimento na região. Todavia, com a construção do Hospital da Criança este cenário deve mudar, já que a unidade contemplará três pavimentos com salas de Ambulatório, Oncológica Pediátrica e Terapia Intensiva, além de outras especialidades, com atendimento ao SUS.

As obras do Hospital da Criança orçadas em 4 milhões, seguem a todo vapor. O prédio está sendo construído em uma área total de 1.700m², que fica ao lado do Hospital Bom Pastor. A previsão de entrega das obras é para março de 2022.

Para o prefeito Vérdi Melo e o vice Leonardo Ciacci, a obra é de suma importância para mudar a realidade dos pacientes em tratamento. A unidade deverá oferecer serviços de qualidade, respeito e dignidade, provendo o que há de melhor em termos de estrutura e tecnologia.

“A obra é tratada como prioridade para o Vérdi e a administração, queremos trazer mais conforto e comodidade para a população varginhense e também à região”, disse o vice prefeito, Leonardo Ciacci ao CSul.

Segundo Ciacci, as obras do hospital estão avançadas. Vale ressaltar que, de acordo com Vérdi, alguns insumos do Hospital de Campanha serão destinados ao Hospital Bom Pastor, enquanto outros serão disponibilizados para o Hospital da Criança.

Durante a conversa, o vice prefeito também reafirmou o compromisso e qualidade do centro de oncologia do Hospital Bom Pastor, que atende adultos de Varginha e região. Ponto de extrema importância foi a verba adquirida no valor de 5 milhões para aquisição de um novo acelerador linear de Fótons de Gantry fechado com auto-blindagem, aparelho considerado fundamental para o atendimento dos pacientes com câncer.

Câncer infanto-juvenil

O câncer infantojuvenil corresponde a um grupo de várias doenças que têm em comum a proliferação descontrolada de células anormais e que pode ocorrer em qualquer local do organismo. Diferentemente do câncer do adulto, o câncer infantojuvenil geralmente afeta as células do sistema sanguíneo e os tecidos de sustentação. Por serem predominantemente de natureza embrionária, tumores na criança e no adolescente são constituídos de células indiferenciadas, o que, geralmente, proporciona melhor resposta aos tratamentos atuais.

Os tumores mais frequentes na infância e na adolescência são as leucemias (que afetam os glóbulos brancos), os que atingem o sistema nervoso central e os linfomas (sistema linfático).

Também acometem crianças e adolescentes o neuroblastoma (tumor de células do sistema nervoso periférico, frequentemente de localização abdominal), tumor de Wilms (tipo de tumor renal), retinoblastoma (afeta a retina, fundo do olho), tumor germinativo (das células que originam os ovários e os testículos), osteossarcoma (tumor ósseo) e sarcomas (tumores de partes moles).

Assim como nos países desenvolvidos, no Brasil, o câncer já representa a primeira causa de morte (8% do total) por doença entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos.

Nas últimas quatro décadas, o progresso no tratamento do câncer na infância e na adolescência foi extremamente significativo. Hoje, em torno de 80% das crianças e adolescentes acometidos da doença podem ser curados, se diagnosticados precocemente e tratados em centros especializados. A maioria deles terá boa qualidade de vida após o tratamento adequado.

Fonte: Inca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.