• (35) 2105-5555
  • csul@correiodosul.com
  • Rua Marcelino Rezende, 26 - Parque Catanduvas

Em maio inflação em Varginha foi de 1,14%

Mês de maio, o grupo que apresentou maior elevação média foi comunicação (7,13%) ocasionada pela alta de 9,53% nos planos básicos de telefonia móvel e de 5,57% nos planos básicos de internet.

Foto: Prefeitura de Varginha

Pelo sexto mês consecutivo o Índice Municipal de Preços ao Consumidor (IMPC-Unis) da cidade de Varginha apresentou alta. Comparando com o mês de abril, o índice geral de inflação em maio teve elevação de 1,14%.

Considerando desde o início da pesquisa em julho de 2021 o indicador já acumula alta de 17,75%. E tomando como base somente este ano de 2022, nos cinco primeiros meses a inflação já atinge 11,29%.

O IMPC-Unis é um indicador composto por 5 grupos de gastos, sendo eles: Alimentação, Habitação, Transporte, Educação e Comunicação. Estes grupos são compostos por 11 subgrupos e 44 itens que totalizam 503 preços coletados considerando diferentes tipos, marcas e locais na cidade. O levantamento dos preços é realizado pelo Departamento de Pesquisa do Grupo Unis e GEESUL.

No mês de maio, o grupo que apresentou maior elevação média foi comunicação (7,13%) ocasionada pela alta de 9,53% nos planos básicos de telefonia móvel e de 5,57% nos planos básicos de internet, cuja correção foi semelhante à queda ocorrida no mês anterior.

O segundo grupo com maior alta nos preços médios foi a alimentação (2,72%). As maiores elevações ocorridas foram com o tomate (24,52%), feijão carioquinha (15,97%) e alho (8,09%), que podem ser explicadas em razão das colheitas desses produtos ainda não terem se intensificado e a oferta dos mesmos encontra-se reduzida. Já os produtos que tiveram as maiores quedas foram banana (-10,54%), cebola (-8,24%) e batata (-7,42%) devido fatores como o maior impulso na colheita e menor demanda no período.

O grupo transporte teve alta de 0,70% ocasionada pelo aumento do diesel (5,36%). Já o etanol teve queda de -2,74% e a gasolina uma diminuição de -0,48%.

O grupo habitação teve queda de -0,85%, sendo que os destaques de alta foram os produtos de limpeza em geral da residência (1,13%) e os itens de higiene pessoal (0,77%). Já as maiores diminuições nos preços médios ocorreram na energia elétrica (-6,21%) e gás de cozinha (-2,38%).

O grupo educação se manteve estável neste mês.

Semelhante ao que foi verificado no mês anterior, em maio a inflação em Varginha continuou persistente, no entanto em patamar menor. Ou seja, a alta geral no nível de preços continua ocorrendo, mas em níveis mais baixos em comparação com os meses anteriores. Isso pode ser um indicativo de que realmente a inflação atingiu seu ápice em março e agora começa a diminuir o nível até se estabilizar e talvez iniciar um declínio. No entanto, esse arrefecimento na alta dos preços ainda está muito lento e devemos levar em consideração que somente nos cinco primeiros meses de 2022 a inflação acumulada já ultrapassou a correção do salário mínimo ocorrida em janeiro, o que prejudica muito o orçamento das famílias assalariadas e de baixa renda.

O desempenho das safras dos produtos alimentícios, as ações de políticas econômicas, a taxa de câmbio, a dinâmica da demanda externa e a recomposição das cadeias produtivas internacionais serão fatores primordiais para o comportamento dos preços nos próximos meses. Reiteramos que, se a previsão do Banco Central de queda na inflação nos próximos meses não se confirmar, as políticas econômicas deverão passar por ajustes a fim de controlar os preços, especialmente por meio de incentivos à produção e maior disponibilidade interna dos produtos.

Fonte: Unis