• (35) 2105-5555
  • csul@correiodosul.com
  • Rua Marcelino Rezende, 26 - Parque Catanduvas

Campanha de vacinação contra gripe é aberta a público em geral

Em Varginha, seis unidades de saúde continuam imunizando a população

Redação CSul – Iago Almeida / Foto: CSul

Encerrou nesta terça-feira (30) a fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe destinada a grupos prioritários. Mais de 18 milhões de integrantes dessa faixa ainda não se imunizaram, segundo o Ministério da Saúde. A partir desta quarta-feira (1º), a campanha foi estendida para toda a população nos postos de saúde do país. 

Apesar das medidas de isolamento social adotadas para evitar a disseminação do novo coronavírus, a recomendação do Ministério da Saúde é para que as pessoas vão até o posto de saúde mais próximo para tomarem a vacina contra o Influenza.

Segundo a pasta, isso pode auxiliar os profissionais da saúde na exclusão do diagnóstico da COVID-19, já que os sintomas são parecidos. Também evita um congestionamento na procura pelos serviços de saúde. De acordo com o Instituto Fernandes Figueira (IFF/FIOCRUZ), as vacinas contra a gripe imunizam contra três tipos de vírus diferentes. A cada ano é feita uma mudança, seguindo recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), para proteger contra os tipos mais comuns de vírus da gripe da época.

Varginha

Em Varginha, a vacinação continua acontecendo nos seis pontos de vacinação que estavam imunizando os grupos prioritários. A vacina também estará disponível para aqueles que não vacinaram

  • Cidade Nova (Rua Sabino de Oliveira, 35);
  • Centenário (Rua Josino Neri, 206);
  • Imaculada (Rua Francisco Ferreira Carvalho, 330);
  • Boa Vista (Rua José Teixeira de Rezende);
  • Policlínica Central (Rua Santa Catarina, s/n);
  • Canaã (Av. Estados Unidos, s/nº)

Segundo o secretário de Saúde de Varginha, Dr Luiz Carlos Coelho, “todo mundo que queira a vacina nesse momento, tem que ser ordeiro, evitar aglomerações, comunicar com a unidade de saúde mais próximo e agendar num momento de menor fluxo, para que não tenhamos problema de aglomeração nesse momento. Não há de se ter correria. O quantitativo remanescente é o bastante para atender um grupo muito grande de pessoas. A gente acredita que todo mundo vai ter o cuidado de buscar pela vacina mas sem se expor a outros problemas em uma aglomeração”, enfatizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.