Reajuste de salários de políticos vira polêmica em Conceição dos Ouros

Um reajuste de salários aprovado pela Câmara Municipal para vereadores, secretários, prefeito e vice virou polêmica em Conceição dos Ouros. A decisão deixou servidores municipais indignados, e a polícia foi chamada para escoltar os parlamentares.

O aumento, de 11,28%, elevou os salários dos vereadores de R$ 2.668,60 para R$ 2.969,62, dos secretários de R$ 1.962,20 para R$ 2.183,53, do prefeito de R$ 11.212,58 para R$ 12.477,36, e do vice de R$ 4.485,03 para R$ 4.990,94. Mesmo sem o projeto estar em pauta nesta segunda-feira (7), moradores foram à reunião da câmara protestar.

“Eu acho muito injusto, porque já que os funcionários não puderam ter nenhum aumento devido à crise, eu acredito que eles também não deveriam nem ter colocado em pauta esse aumento”, afirmou a professora Neiva Prado.

“Eu acho que se está aqui, tem que estar não por querer aumentar o salário ou algo assim”, disse outra moradora, que não se identificou.

Moradores protestaram durante reunião da Câmara de Conceição dos Ouros (MG) (Foto: Reprodução EPTV)
Moradores protestaram durante reunião da Câmara de Conceição dos Ouros (Foto: Reprodução EPTV)

Veto derrubado
O prefeito de Conceição dos Ouros, Maurício Euclides Viana, chegou a vetar o projeto. “Como a nossa prefeitura não está podendo dar aumento aos funcionários em geral, então não acho justo este aumento para cargo político”, afirmou.

Mas a maioria dos vereadores derrubou o veto e aprovou o reajuste. João Paulo Barbosa, um dos dois vereadores a votar a favor do veto, disse não concordar com o reajuste.  “Já que não pode recompor o salário dos servidores, que são a classe, digamos assim, com menor salário, por que então recompor o nosso salário neste ano?”, questionou.

Reajuste de salários virou polêmica em Conceição dos Ouros (Foto: Reprodução EPTV)
Reajuste de salários virou polêmica em Conceição dos Ouros (Foto: Reprodução EPTV)

Já o vereador Carlos Roberto Rogério justificou o voto a favor. “Todo ano no mês de janeiro ocorre que essa perda inflacionária que tem no período de 12 meses, a Constituição permite, prevê que seja corrigido. Apenas o índice, que é o Índice Nacional de Preços do Consumidor, que é a inflação do período”.

“Não deixa de ser um reajuste, mas é que se foi batido na tecla que os vereadores estavam aumentando os seus salários, os próprios salários. Isso é uma coisa corriqueira em todas as câmaras, em todas as prefeituras”, disse o presidente da câmara, Michel Machado.

Vereadores escoltados
Os protestos na Câmara de Conceição dos Ouros foram até o fim da sessão, que por conta do tumulto, foi encerrada pelos vereadores um pouco mais cedo.

“Já estava no final da pauta mesmo. Eu só adiantei alguns segundos, porque teve o tumulto e ia ser inviável finalizar. Mas já estava no final mesmo”, explicou o presidente.

Alguns moradores não foram embora e cercaram a saída da câmara. A Polícia Militar foi acionada e teve que escoltar a maioria dos vereadores na saída do prédio.

Vereadores precisaram ser escoltados pela Polícia Militar após a reunião desta segunda-feira (7) (Foto: Reprodução EPTV)
Vereadores precisaram ser escoltados pela Polícia Militar após a reunião desta segunda-feira (7) (Foto: Reprodução EPTV)

Sanção
De acordo com a assessoria da Prefeitura de Conceição dos Ouros, o projeto ainda precisa ser sancionado pelo prefeito Maurício Viana. Caso isso aconteça, o reajuste salarial passa a valer no mês seguinte à sanção.

Fonte: G1 Sul de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.