• (35) 2105-5555
  • csul@correiodosul.com
  • Rua Marcelino Rezende, 26 - Parque Catanduvas

População deve colocar imunização em dia

Vacinas que protegem contra a gripe, covid e meningite são gratuitas e disponibilizadas nas Unidades Básicas de Saúde de todo o estado

Foto: SES

Em Minas estão em andamento as campanhas de vacinação contra a Influenza e covid-19 e, também, a ampliação do grupo para a imunização contra a meningite C. As vacinas estão disponíveis de forma gratuita nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) para o atendimento das pessoas incluídas nos grupos prioritários. Diante disso, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) alerta para a importância da imunização e convoca a população a procurar a UBS mais próxima de casa para atualizar o cartão vacinal.

“A vacinação é a forma mais eficiente de prevenir e proteger contra essas doenças”, reforça o subsecretário de Vigilância em Saúde, Eduardo Prosdocimi.

A ampliação temporária do grupo para a vacinação contra a meningite C termina no dia 30/4. A vacina é disponibilizada regularmente, na rotina do calendário nacional de vacinação, para as crianças de três e cinco meses de idade, com uma dose de reforço aos 12 meses. Com a ampliação temporária, a vacina foi disponibilizada, também, para pessoas de 16 anos ou mais não vacinadas.

A cobertura vacinal da vacina Meningocócica C em 2022 foi de 82,14% para crianças menores de 1 ano de idade e 79,78% para crianças de 1 ano. A meta preconizada pelo Ministério da Saúde é de 95%.

As informações de cobertura vacinal referentes aos primeiros meses de 2023 estão em processamento e devem ser atualizadas até o fim de abril.

Segundo a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações, Josianne Gusmão, as vacinas contra meningite bacteriana são consideradas a medida mais eficaz e segura para evitar casos graves, além de sequelas como amputações, surdez ou cicatrizes e mortes pela doença. “A vacinação é a principal forma de prevenção da doença meningocócica. As vacinas são seguras e eficazes e estão disponibilizadas nas Unidades de Saúde. Procure a Unidade de Saúde mais próxima da sua residência e leve o cartão de vacinação”, destaca a coordenadora.

Segundo dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) em 2023, até o dia 29/3, foram registrados 113 casos de meningite no estado. Em 2022 foram registrados 714 casos. Em 2021, foram 440 casos.

Influenza

Devido à proximidade do outono e inverno, períodos propícios para o agravamento de doenças respiratórias, a SES-MG antecipou a vacinação anual contra Influenza. Em Minas Gerais, a campanha está acontecendo desde o início de abril e seguirá até o dia 31/5. A medida tem o objetivo de reduzir as complicações, internações e mortalidade decorrentes das infecções pelo vírus causador da gripe e garantir a proteção do público elegível.

A meta é vacinar 90% de cada um dos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde. Entre eles estão as crianças, gestantes, puérperas, idosos com 60 anos ou mais, povos indígenas, professores do ensino básico e superior, trabalhadores da saúde (dos serviços públicos e privados, nos diferentes níveis de complexidade), pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário para passageiros urbanos e de longo curso, trabalhadores portuários e profissionais das Forças de Segurança de Salvamento e das Forças Armadas.

Para a campanha de 2023, o estado já recebeu do Ministério da Saúde 3.420.000 doses, que estão sendo disponibilizadas aos 853 municípios mineiros. Até 18/4, foram aplicadas 472.685 doses. A expectativa é que 8.519.957 pessoas sejam vacinadas em Minas Gerais.

Em 2022, 132 pessoas vieram a óbito por Síndrome Respiratória Aguda Grave causada por Influenza em Minas Gerais. Este ano, já são três mortes notificadas.

Bivalente

Outra campanha que também está em andamento nas unidades de saúde é a vacinação contra a covid-19. Minas Gerais iniciou as ações de intensificação da imunização contra a doença, em 27/2, com a vacina bivalente em todo o estado. Nesta etapa, estão incluídas para receberem as doses as pessoas com 60 anos ou mais, pessoas vivendo em instituições de longa permanência (ILP), e os trabalhadores dessas instituições, imunocomprometidos a partir de 12 anos; pessoas das comunidades indígenas, ribeirinhas e quilombolas a partir de 12 anos, gestantes e puérperas, trabalhadores da saúde, pessoas com deficiência permanente, população privada de liberdade a partir de 18 anos, adolescentes cumprindo medidas socioeducativas menores de 18 anos, funcionários do sistema de privação de liberdade e pessoas com comorbidades.

De acordo com a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações, Josianne Gusmão, é importante que os grupos elegíveis para a vacinação bivalente fiquem protegidos contra a cepa original e as variantes, para evitar internações e óbitos pela doença. “Para receber a bivalente é preciso ter concluído o esquema primário com duas doses das vacinas monovalentes, respeitando o intervalo mínimo de quatro meses da última dose administrada”, destaca Josianne Gusmão.

Em Minas Gerais, segundo dados do Vacinômetro Covid-19 do Ministério da Saúde, a cobertura vacinal com a bivalente está em 16,4% de um público de 6.112.770 pessoas. Já foram aplicadas, até o momento, 1.006.915 doses da vacina. O público que mais recebeu as doses foram as mulheres com idade de 60 anos ou mais.

Até 17/4, Minas Gerais havia recebido do Ministério da Saúde 2.876.160 doses de vacinas bivalentes. A SES-MG orientou os municípios a avançarem na imunização para todos os grupos prioritários. Os imunizantes são enviados para as Unidades Regionais de Saúde (URS) de acordo com a demanda dos municípios de sua abrangência.

Josianne Gusmão recomenda que os municípios aproveitem a oportunidade para avançar na vacinação contra a covid-19, uma vez que existem grupos prioritários coincidentes para a campanha de vacinação contra a influenza. “Não há contraindicação para administração concomitante das doses das vacinas contra a covid-19 e influenza. Podem ser administradas juntas”, finaliza.

Mais informações sobre a cobertura vacinal contra a covid-19 podem ser consultadas aqui.  

Fonte: Agência Minas