• (35) 2105-5555
  • csul@correiodosul.com
  • Rua Marcelino Rezende, 26 - Parque Catanduvas

PCMG prende suspeito de maus-tratos a animais em Perdões

Os policiais visualizaram o cão de grande porte caído no chão, dentro de um pequeno cômodo, sem espaço adequado para ventilação, com janelas e portas fechadas.

Foto: PCMG

Em desdobramento à apuração de denúncia de maus-tratos a um cão que vivia em um depósito de gás, na cidade de Perdões, Sul do estado, a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) prendeu, nesta quarta-feira (15/5), um suspeito, de 47 anos, responsável pelo animal e proprietário de um estabelecimento comercial. No local, os policiais civis verificaram a pertinência das informações repassadas, de que o cachorro se encontrava em condições precárias de saúde, alimentação e higiene, já apresentando baixos sinais vitais.

No momento em que a equipe da PCMG chegou ao endereço, o comerciante não estava. De uma fresta, os policiais já visualizaram o cão de grande porte, aparentemente da raça Rottweiler, caído no chão, dentro de um pequeno cômodo, sem espaço adequado para ventilação, com janelas e portas fechadas. Também não havia potes de água ou comida, e o recinto apresentava-se bastante sujo. Diante dos fatos, os policiais, na presença de testemunhas, entraram no estabelecimento.

A responsável pela Associação Protetora dos Animais de Perdões (APAP) foi acionada e, de imediato, encaminhou o cão para atendimento veterinário. O laudo emitido pelo médico veterinário apontou que o animal estava “caquético, desidratado, anêmico e sem capacidade de locomoção”. Também indicou “inconsciência e hemorragia na mucosa oral, sugerindo hemoparasitose”.

No curso da ação policial, o comerciante chegou ao depósito e assumiu a propriedade do cachorro. Ele foi conduzido à Delegacia de Polícia, mas reservou-se o direito de permanecer em silêncio. O suspeito teve sua prisão ratificada pelo crime de maus-tratos contra cão (art. 32, §1º-A, da Lei nº 9.605/98) e encaminhado ao sistema prisional, ficando à disposição da Justiça.

Fonte: PCMG