Praia Clube para nos próprios erros e Vôlei Nestlé empata semifinal

As expectativas para o confronto entre Vôlei Nestlé-SP e Dentil-Praia Clube, que já eram altas, parece que aumentaram ainda mais após o primeiro jogo das semifinais, na última sexta-feira. A vitória praiana veio no tie-break após reverter um 7 a 2 no último set a favor das adversárias, em um jogo com boa dose de emoção.

No entanto, o equilíbrio esperado para o segundo jogo, nesta segunda-feira, em Osasco, ficou para uma próxima oportunidade. Sem a consistência tão pedida pelo técnico Paulo Coco, o Praia foi parado, em boa parte do confrontos, nos seus próprios erros. Poucos foram os momentos favoráveis para a equipe de Uberlândia, que pareceu ter deixado boa parte da motivação, agressividade e empenho no Triângulo Mineiro. As paulistas trataram de aproveitar as várias oportunidades criadas para vencer por 3 a 1 (25/17, 25/23, 20/25 e 25/14) e empatar a série. A oposta Tandara foi eleita a melhor jogadora em quadra. O próximo jogo acontece na sexta-feira, na casa do Praia, para deixar um dos times a apenas uma vitória da grande decisão.

A presença de Amanda no time titular não surtiu o efeito desejado no time visitante. A ponteira, que havia ido bem na primeira partida, não conseguiu ajudar como gostaria no fundo de quadra. A parte defensiva do Praia ficou devendo, comprometendo um melhor desempenho. Tendo dificuldades com o saque das donas da casa, o Praia viu tudo ficar mais difícil com o ataque e bloqueio do outro lado fazendo bem sua parte.

Sem a oposta Nicole Fawcett em uma noite favorável, o Praia viu sua parte ofensiva ficar aquém do potencial. No primeiro set, o Nestlé abriu boas vantagens como 15 a 10 e 19 a 12 para fechar sem grandes problemas. No segundo, o Praia começou melhor, chegando a fazer um 12 a 9, que não demorou para virar um 19 a 15 para as paulistas. A queda de produção foi castigada quase que instantaneamente, desperdiçando a chance do empate. Foi com a presença da levantadora Ananda no terceiro set que o Praia melhorou sua virada de bola. Desta vez, a diferença aberta foi mantida para postergar o duelo.

No quarto set, o Osasco repetiu boa parte da sua melhor atuação no jogo, tendo o bloqueio e a defesa bem postada como armas para anular o Praia Clube. Fawcett seguiu ineficaz até ser substituída por Carla. As centrais não funcionavam bem e Garay tentava assumir a responsabilidade, sem muito sucesso. Os pontos dados de graça fizeram o Osasco fazer boas margens como 11 a 5  e 20 a 9 para manter o ritmo até o final, fazendo a série ser definida em, no mínimo, quatro jogos.

Escalações:

Vôlei Nestlé-SP: Fabíola, Tandara, Bia, Ninkovic, Mari Paraíba, Leyva e Tássia. Entraram: Natasha, Ananda, Ellen, Carla. Técnico: Luizomar de Moura

Dentil-Praia Clube: Claudinha, Fawcett, Fabiana, Walewska, Amanda, Fernanda Garay e Suellen. Entraram: Camila Brait, Carol Albuquerque, Nat Martins. Técnico: Paulo Coco

Fonte: O Tempo / Foto: João Pires

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.