• (35) 2105-5555
  • csul@correiodosul.com
  • Rua Marcelino Rezende, 26 - Parque Catanduvas

Boa Esporte apenas empata com o União Rondonópolis, e está fora da Série D

Com o empate em 1 x 1, equipe de Varginha não terá competições nacionais para disputar nos próximos anos. Resultado fecha década de auge e decadência.

Redação CSu – Alisson Marques/Foto destaque: Mário Purificação – Boa Esporte

Não deu para o Boa Esporte. O sonho do classificação à próxima fase e, consequentemente, talvez, à Série C em 2022, acabou neste sábado (18) diante do União Rondonópolis-MT. Precisando reverter o placar da ida, quando foi derrotada por 2 x 0, a Coruja partiu pra cima do adversário no início do jogo. Com mudanças na escalação, dentre elas a estreia do experiente Leandro Salino, a equipe boveta tentava o gol logo no início, mas parava no goleiro Neneca.

Sem calendário pelos próximos meses, partida pode ter marcado a estreia e também despedida de Leandro Salino do Boa Esporte/Foto: Mário Purificação-Boa Esporte

Com o passar do tempo, o nervosismo foi tomando conta do time de Varginha e os erros passavam a acontecer de forma recorrente. E, justamente, em um desses erros, saiu o gol do adversário. Em recuo errado de Douglas Pelé, Picachu avançou boa parte do campo sozinho, invadiu a área e foi derrubado por Salino. Na cobrança de pênalti, Odail Júnior fez 1 x 0 para os visitantes.

Com o gol do adversário, o que já era complicado ficou ainda mais difícil. Gabardo Júnior mudou. Colocou Stuart em campo e sacou Iago Sampaio. A mudança deu resultado, em rápido ataque, Willian Mococa apareceu livre na área e empatou a partida nos acréscimos do primeiro tempo.

Na segunda etapa, a pressão boveta era quase irresistível nos minutos iniciais. As chances, no entanto, paravam no goleiro Neneca que, apesar da cera durante toda partida, foi um dos nomes do jogo.

A Boa tentava, mas sem sucesso era tomado pelo cansaço e pelo desespero. Gabardo Júnior, treinador da Coruja colocou em campo todos seus jogadores de ataque disponíveis, entretanto nada mudou. O União Rondonópolis se segurou, e no final, saiu classificado de Varginha.

Como fica para o Boa Esporte?

Com o resultado, o Boa Esporte não terá divisão nacional para disputar nos próximos anos. Devido ao rebaixamento no Campeonato Mineiro deste ano, a Coruja irá jogar o Módulo II do estadual em 2022 e precisará conquistar o acesso ao Módulo I, para quem sabe, em 2023, conseguir uma vaga à Série D de 2024.

Década de auge e decadência

Logo em seu primeiro ano em Varginha, o Boa quase conseguiu acesso à primeira divisão. Em 2011, a equipe comandada por Nedo Xavier chegou a ficar entre os quatro primeiros colocados na última rodada, mas acabou ficando fora devido à uma combinação de resultados.

Já em 2014, nova chance de acesso para a elite. Desta vez, ainda mais clara. O Boa Esporte chegou na última rodada somente precisando vencer o já rebaixado Icasa para se classificar. Entretanto, mesmo saindo na frente, a Coruja sucumbiu e foi derrotada por 3 x 1. Frustando seus torcedores. Fato que, até hoje, é vivo na mente da torcida boveta.

Pouco tempo depois, em 2016 – apesar do rebaixamento à Série C em 2015 – o Boa retornou para a Série B em grande estilo. Disputando a terceira do nacional em 2016, a equipe de Ney da Matta foi campeã da competição. À época, a Coruja bateu o Guarani na final por 3 x 0, no segundo jogo.

Contudo, após o título da Série C em 2016, vieram os rebaixamentos em sequência. Primeiro, o da Série B em 2018. Depois o da Série C em 2020. Neste 1º semestre, no Campeonato Mineiro e agora a queda na segunda fase da Série D.

Assim como o sucesso, a decadência do Boa Esporte aconteceu de forma meteórica. Uma década marcada por grandes momentos e por um final fatídico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.