• (35) 2105-5555
  • csul@correiodosul.com
  • Rua Marcelino Rezende, 26 - Parque Catanduvas

Óleos essenciais: aliados naturais no combate às doenças respiratórias

Com novo aumento de casos de Covid e de gripe, a aromatologista Lígia Finotti explica como utilizá-los para amenizar os sintomas e reduzir a ansiedade

A primeira notícia de 2022 foi aquela que ninguém queria ouvir: um novo aumento na contaminação por Covid. Para se ter uma ideia, o mundo registrou um novo recorde: mais de 3 milhões de casos em um único dia, mostrando que a pandemia está longe de acabar. No Brasil, além da variante Ômicron, outro fator preocupante é o surto de gripe causado pelo vírus H3N2. Por apresentarem sinais muito parecidos, ambas as doenças precisam dos tratamentos convencionais com medicamentos e o paciente também pode contar com uma ajuda extra: a aromaterapia, excelente para aliviar sintomas como coriza, tosse e muito mais.

A aromaterapia, segundo a aromatologista Lígia Finotti, é uma terapia complementar totalmente natural que faz uso de compostos bioativos, presentes nos óleos essenciais, para promover uma melhoria no bem-estar físico e emocional das pessoas. “Os óleos essenciais são substâncias metabólicas secundárias produzidas pelas plantas com o objetivo de interagirem com o meio ambiente. Assim, quando extraímos esses óleos, conseguimos aplicá-los de forma terapêutica em nossa nossa vida”, explica.

Atualmente, os óleos essenciais têm despertado o interesse das pessoas no mundo todo, inclusive, diversos países já adotaram a aromaterapia como protocolo dentro dos sistemas de saúde. “A cada dia que passa, mais pessoas têm buscado por um consumo mais consciente e os tratamentos mais naturais acabam entrando nesse movimento. Isto, por si só, contribui para esta tendência de mercado voltada para o interesse sobre aquilo que é consumido”, comenta a aromaterapeuta.

No Brasil, porém, a aromaterapia está apenas começando a virar uma tendência. “Aqui ainda temos muito a cultura do remediar, enquanto países mais desenvolvidos adotam a cultura do prevenir. Por outro lado, quando observamos que o brasileiro tem buscado por hábitos de vida mais saudáveis e naturais, podemos dizer que o país tem evoluído mais nesse movimento de prevenção”.

Porque os óleos essenciais são tão eficientes?

Os óleos essenciais podem ser usados de diversas formas, porém, para serem melhor aproveitados, eles precisam ser inalados, já que possuem moléculas muito pequenas e voláteis. Lígia explica que as moléculas inaladas entram rapidamente na corrente sanguínea, além de serem captadas pelo nervo olfativo, agindo diretamente no cérebro, através do sistema límbico. Esse mecanismo, por sua vez, comprova a eficácia desta terapia para o tratamento de diversas doenças, sejam elas respiratórias ou provocadas pela pandemia, como ansiedade, depressão, fome compulsiva e depressão, por exemplo.

Óleos essenciais que amenizam sintomas de problemas respiratórios

Para quem está com sintomas de Covid, ou de gripe, como tosse e coriza, a aromatologista recomenda um blend de óleos essenciais à base de eucalipto. “A mistura entre eucalipto staigeriana e eucalipto glóbulos funciona como uma versão natural do Vicky. Para esta preparação, adicione em 95% de óleo vegetal (azeite de oliva, óleo de amêndoas ou girassol), 1% de vitamina E, que é antioxidante; 2% de óleo essencial de eucalipto staigeriana e 2% de óleo essencial de eucalipto glóbulos.

Em caso de tosse, a aplicação pode ocorrer no peitoral, nas costas e nas solas dos pés antes de dormir. Para dores de cabeça, passe a mistura nas têmporas. Essa receita também pode ser usada para dores musculares”. Já para pacientes que sofrem reflexos pós-Covid, como esquecimento e perda de olfato, Lígia recomenda o uso de um inalador. “Dentro dele coloque sete gotas de óleo essencial de cravo da índia e uma gota de óleo essencial de hortelã-pimenta. O cravo da índia é excelente estimulador da memória”, aponta.

Além dos inaladores, há outros meios para se beneficiar da aromaterapia. Lígia destaca o uso dos óleos essenciais dentro de difusores de ambiente, tanto aqueles a seco quanto aqueles colocados na tomada, que precisam ser diluídos em uma parte de água. “Outra técnica interessante é a sauna seca, que consiste em pegar um lenço de tecido limpinho e colocar umas gotinhas de óleo essencial para a pessoa inalar”.

Dicas extras para aliviar a ansiedade de forma natural

Para quem está passando por problemas emocionais, o óleo essencial de lavanda é bastante eficiente para aliviar este quadro. “Estudos científicos constataram que o óleo essencial de lavanda tem forte atuação como calmante, sendo bom para crises de pânico, questão de insônia e irritabilidade. A pessoa pode colocar uma gotinha no travesseiro ou utilizar no inalador das formas convencionais”, pontua.

Lígia ainda comenta que com esse óleo essencial é possível fazer uma mistura interessante para estes casos. “Em 70% de álcool cereais, junte 24% de água mineral, 1% de glicerina vegetal e 5% de óleo essencial de lavanda. Coloque isto num vidro e borrife no travesseiro antes de dormir. A pessoa pode, ainda, borrifar nas roupas e no pijama”, finaliza.

Sobre Lígia Finotti

Além de aromatologista, Lígia Finotti é acadêmica em Química, perfumista e herbalista, atuando em uma área legal da Amazônia brasileira. Natural do estado do Pará, a profissional tem como propósito promover uma conexão entre as pessoas e a natureza, construindo um caminho sustentável baseado no respeito, na valorização e no conhecimento da matéria-prima disponível em nosso país. Pelo seu Instagram (@ligiafinotti), Lígia divide com seus apoiadores seus conhecimentos dando dicas, receitas e informações sobre como cuidar da saúde e ter mais qualidade de vida de maneira natural e sustentável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.