Hora do Empreendedor com Ibraim Gustavo – Inovação e tecnologia são situações sempre de passagem

É importante que saibamos que inovação e tecnologia são passageiras, e estão sempre sendo colocados à prova.

Você já percebeu que inovação e tecnologia estão sempre de passagem, e não são permanentes?

Pois é. Assim é a construção da evolução da humanidade: ciência, inovação e tecnologia sempre passageiras.

Características da inovação e tecnologia

Apesar de nem sempre representarem a mesma coisa, esses termos são extremamente interligados.

Alan Kay, cientista da computação, define tecnologia como “qualquer coisa que não estava por aí quando você nasceu”.

Enquanto inovação é aquilo que está situado na vanguarda, que cria, produz ou torna algo novo.

Ou seja, não é necessário que inovação e tecnologia sejam refletidas apenas em produtos digitais ou virtuais.

Então, devemos nos lembrar de tudo o que um dia já foi considerado como inovação e tecnologia.

Podemos citar:

  • Relógio de pulso;
  • Liquidificador
  • Fita de vídeo VHS;
  • Videocassete;
  • Disquete;
  • Telefone sem fio;
  • Walkman;
  • Walkie Talkie;
  • Pager.

Se você é das gerações Z ou Alpha, talvez nunca nem tenha ouvido falar dessas coisas.

Mas todas elas, a seu tempo, já foram consideradas tecnologias, apesar de a maioria delas, hoje, ser considerada obsoleta.

E olha que citamos apenas aparelhos criados no século 20, mas sem dispensar que toda criação anterior também já foi uma inovação.

É uma característica própria de inovação e tecnologia que elas sejam passageiras e durem apenas por um tempo.

Entretanto, as criações inovadoras e tecnológicas que já foram ultrapassadas permitiram o surgimento de outras novidades.

Ciência, inovação e tecnologia

Assim como inovação e tecnologia, a ciência também sofre alterações e modificações com o passar do tempo.

A ciência é, inclusive, base para muitas descobertas tecnológicas e inovações, inclusive para o mercado de trabalho.

Como exemplos disso, podemos citar:

  • Telemedicina: Que otimizou a prestação de serviços para o paciente, e melhorou também a tarefa dos médicos;
  • EaD: O Ensino à Distância é uma das maiores conquistas acadêmicas dos últimos tempos, democratizando e agilizando o acesso à educação;
  • Cultura Virtual: Assim como o EaD, o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) é uma enorme conquista da cultura virtual, possibilitando ouvir música, assistir a produções cinematográficas e realizar visitas a museus e exposições, por exemplo, por meio de recursos digitais.

Ou seja, a telemedicina contribuiu para facilitar o trabalho de médicos, assim como o EaD trouxe benefícios para os professores.

Além deles, toda a classe artística, como músicos, atores, diretores e roteiristas, podem utilizar a tecnologia para vender seus produtos.

Conhecido como um dos pilares da sociologia, o escritor alemão Max Weber defende que a ciência também é passageira.

Na obra Ciência e Política: Duas Vocações, ele afirma: “[…] no domínio da ciência, todos sabem que a obra construída terá envelhecido dentro de dez, vinte ou cinquenta anos.

Assim como inovação e tecnologia, a ciência, que inspira as outras duas, também é perecível, e é posta à prova diariamente.

“Toda obra científica ‘acabada’ não tem outro sentido senão o de fazer surgir novas indagações”, completa.

Agora, devemos tomar como comparação a fala de Weber, e transferirmos para os campos da inovação e tecnologia.

Toda inovação e toda tecnologia criadas devem inspirar novas descobertas, e seguir o esforço de se fazer evoluir a humanidade.

Max Weber finaliza o trecho em que trata da perecibilidade da ciência, com uma indagação que nos faz refletir.

O escritor comenta: “Por que nos entregamos a uma tarefa que jamais encontra fim, e não pode encontrá-lo?”

Weber afirma que a condição de efemeridade da ciência não pode impedir sua evolução: “O homem se dedica à ciência pela ciência”.

O que ele quer dizer é que o meio é o próprio justificador do meio, ainda que não encontrando um fim.

Portanto, não é desperdício de tempo, inteligência, dinheiro ou qualquer outra coisa, o investimento em inovação e tecnologia.

Finalizo com o último comentário de Max Weber neste trecho de seu ensaio.

Ele afirma que o homem que se dedica à causa não deve esperar recompensa por algo que é passageiro e está destinado ao envelhecimento.

Entretanto, a metáfora nanos gigantum humeris insidentes, utilizada por outro grande pensador, a saber Isaac Newton, nos anima.

Ao pé-da-letra, quer dizer: “anões sobre os ombros de gigantes” , e expressa o significado de descobrir a verdade a partir de descobertas anteriores.

Então, o que são inovação e tecnologia senão descobertas recentes que nasceram de ideias passíveis de serem ultrapassadas?

Não tenha medo de criar coisas novas e investir em inovação e tecnologia, mas prepare-se para a necessidade de fazê-lo sempre.

Ibraim Gustavo – Jornalista, pós-graduado em Marketing (UNIP) e MBA em Comunicação e Mídia (UNIP). É também escritor, redator e radialista, e possui formação em Profissões do Futuro (plataforma O Futuro das Coisas), e no programa Restartse (plataforma StartSe).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.