• (35) 2105-5555
  • csul@correiodosul.com
  • Rua Marcelino Rezende, 26 - Parque Catanduvas

Hora do Empreendedor com Ibraim Gustavo – As empresas devem se preocupar com a qualidade de vida do trabalhador

Os investimentos na saúde e na qualidade de vida do trabalhador são importantes tanto para o indivíduo, quanto para o crescimento da empresa.

Na atualidade, é imprescindível que empresas e empreendedores se preocupem com a qualidade de vida do trabalhador.

Saúde, bem-estar e enriquecimento cultural são alguns investimentos fundamentais para melhorar a qualidade de vida do trabalhador.

Investimento mais que necessário

Cada dia mais, empresários do mundo inteiro percebem que o investimento na saúde dos colaboradores é fundamental.

Existem inúmeras formas de se investir na qualidade de vida do trabalhador, entre elas:

  • Ofertar planos de saúde para o colaborador;
  • Firmar convênios com academias, clubes e outras associações esportivas;
  • Oferecer atendimento psicológico individual ou em grupo, como rodas de conversas temáticas;
  • Implementar a cultura da ginástica laboral;
  • Estabelecer a prática de home office para as funções possíveis e para os colaboradores que se interessarem por ela;
  • Proporcionar cartões de desconto e convênios em atividades culturais e de lazer.

Como visto, a qualidade de vida do trabalhador não está relacionada apenas à saúde física.

Contribuir com a qualidade da saúde mental e da saúde emocional, além de possibilitar o enriquecimento cultural também são formas de investimentos.

Além de garantir mais qualidade de vida ao trabalhador, essas ações também refletem no dia-a-dia da empresa.

Os profissionais se sentem mais respeitados e mais à vontade para exercer suas funções quando percebem o cuidado da gestão.

Desta forma, é possível observar o aumento do comprometimento dos colaboradores, e a consequente expansão das atividades e da lucratividade da empresa.

A pandemia e a qualidade de vida do trabalhador

A pandemia do Coronavírus comprovou a necessidade de se investir na saúde e na qualidade de vida do trabalhador.

Com o impedimento de sair de casa, foi necessária a adoção de outros regimes trabalhistas, como o home office.

Além disso, muitas empresas precisaram contratar psicólogos, psiquiatras e outros especialistas em saúde mental.

Esses profissionais foram incluídos no quadro de colaboradores no intuito de cuidar da saúde mental dos outros trabalhadores.

O cuidado para com a qualidade de vida do trabalhador é uma responsabilidade compartilhada.

Essa função não deve ser delegada apenas ao próprio indivíduo, mas dividida entre a empresa e o próprio Estado.

O indivíduo deve preocupar-se com sua saúde, realizando exames médicos e buscando os cuidados necessários para sua saúde.

Por outro lado, a empresa que quer melhores profissionais e colaboradores mais engajados, precisará investir na sua qualidade de vida.

É urgente que as empresas, inclusive os micro e pequenos empreendedores, respeitem o ser humano como ele é.

Não somos máquinas infalíveis, e precisamos de cuidados nas mais diversas áreas da vida.

Até mesmo as máquinas, os robôs e os equipamentos mais tecnológicos precisam de manutenção, quanto mais o ser humano.

Por fim, o Estado precisa garantir, por meio de legislações, normas e regulamentações, a possibilidade do incremento dessas ações.

A qualidade de vida do trabalhador como tendência mundial

O cuidado com a saúde do trabalhador não é uma questão pontual e passageira no mercado de trabalho.

De acordo com Guilherme Credidio, professor de Tendências da Inovação, “a realização de atividade física e de lazer é fator para aumento de produtividade”.

O professor comenta que esses investimentos têm forte impacto na redução do estresse dos profissionais.

Titular do curso de MBA de Empreendedorismo e Inovação da Anhanguera Educacional, Credidio afirma que essa é uma tendência mundial.

“A tendência é a busca de melhor qualidade de vida do profissional por meio de desenvolvimento cultural, bons hábitos de lazer e a prática de esportes no seu tempo livre”.

A alteração comportamental das pessoas “tem se alterado em direção ao equilíbrio entre vida profissional e pessoal”.

Segundo ele, a atenção está voltada agora “ao corpo físico e aos parâmetros de saúde do indivíduo e forte interesse em explorar sua intelectualidade”.

Sendo assim, é interessante perceber que estão surgindo inovações no setor de qualidade de vida do trabalhador.

Para Credidio, essas inovações devem ser bem aceitas pelo mercado por serem importantes geradoras de valor para as empresas.

A qualidade de vida do trabalhador reflete positivamente na rotina da empresa e no crescimento de suas atividades.

Ibraim Gustavo – Jornalista, pós-graduado em Marketing (UNIP) e MBA em Comunicação e Mídia (UNIP). É também escritor, redator e radialista, e possui formação em Profissões do Futuro (plataforma O Futuro das Coisas), e no programa Restartse (plataforma StartSe).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.