Cirurgias de reconstrução de mama são realizadas em Poços de Caldas e Pouso Alegre

Como parte das comemorações do movimento ‘Outubro Rosa’, cirurgias de reconstrução mamária serão realizadas em algumas cidades do país. No Sul de Minas, Poços de Caldas e Pouso Alegre, vão participar do projeto.

A ação faz parte do 2º Mutirão Nacional de Reconstrução Mamária, coordenado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), para tentar agilizar as cirurgias feitas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), além de devolver a autoestima às pacientes que venceram o câncer de mama.

É o caso da dona de casa Sueli de Oliveira, que já passa pelo procedimento nesta quinta-feira (27), no Hospital da Santa Casa em Poços de Caldas. Conquista muito esperada por ela.

A dona de casa Sueli de Oliveira passará pelo procedimento na Santa Casa de Poços de Caldas (MG).  (Foto: Reprodução EPTV/Erlei Peixoto)
A dona de casa Sueli de Oliveira passará pelo procedimento na Santa Casa de Poços de Caldas (Foto: Reprodução EPTV/Erlei Peixoto)

“Se sentir bem. Você poder fazer o que você gosta. Poder usar um biquíni. Você poder até usar um biquíni que você vai se sair bem. Então é uma maneira de amenizar aquela dorzinha que ficou”, disse Sueli.

Segundo o cirurgião plástico Vitor Adissi, que vai acompanhar a cirurgia de Sueli, o mutirão diminuiu o sofrimento dessas mulheres diante do alto número de pacientes que não conseguem uma reconstrução mamária pelo SUS ou por convênios.

“Em 2012, foi feito o primeiro mutirão nacional de reconstrução do câncer de mama. a sociedade realizou 500 e poucas cirurgias. naquele ano, o sus conseguiu realizar 1,1 mil cirurgias. quer dizer, se você pensar que existem 30 mil mulheres mutiladas, sem mama, e que o sus conseguiu apenas fazer 1 mil delas, naquele ano, você imagina a demanda reprimida que nós temos por ai”, explicou Adissi.

Cirurgião plástico diz que mutirão visa agilizar operações pelo SUS e devolver autoestima às mulheres. (Foto: Reprodução EPTV/Erlei Peixoto)
Cirurgião plástico diz que mutirão visa agilizar operações pelo SUS e devolver autoestima às mulheres. (Foto: Reprodução EPTV/Erlei Peixoto)

As pacientes que participarão do mutirão já foram selecionadas e realizaram previamente todos os exames necessários para a cirurgia.

“As pacientes que serão submetidas à reconstrução de mama, elas têm que ser avaliada por um cirurgião plástico para a escolha da melhor técnica, da melhor cirurgia. Ela pode fazer a cirurgia ao mesmo tempo da mastectomia, da retirada da mama, ou posteriormente. Temos a opção de utilização de prótese de silicone, a utilização de expansores ou a utilização de cirurgias que não utilizam prótese de silicone ou esses expansores, como é o caso da paciente de hoje que será submetida à cirurgia que utiliza pele e gordura do abdômen para a reconstrução da mama”, explicou o cirurgião plástico Eduardo Bachin.

Autoestima recuperada
Quem já passou pela operação, como é o caso da servidora pública Ana Alice de Souza, mesmo tendo realizado a cirurgia pelo plano de saúde, diz que não é apenas a autoestima que muda, mas toda a vida.

“Você fica ali toda vaidosa, não deixa de ficar mesmo, mas o mais importante para mim, realmente, foi ter vencido esse problema que eu tive. Espero e tenho fé em Deus que eu estou curada”, explicou Ana Alice.

Cirurgia que melhorou a autoestima e a vida da servidora pública Ana Alice de Souza. (Foto: Reprodução EPTV/Erlei Peixoto)
Cirurgia que melhorou a autoestima e a vida da servidora pública Ana Alice de Souza. (Foto: Reprodução EPTV/Erlei Peixoto)

Números no Brasil
De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o tumor na mama é o segundo tipo mais comum de câncer registrado entre mulheres no Brasil e no mundo – atrás apenas do câncer de pele não melanoma. A doença responde por cerca de 25% dos novos casos de câncer registrados todos os anos. Só no Brasil são 50 mil novos casos diagnosticados a cada ano.

A previsão é que pelo menos 842 procedimentos sejam realizados em 98 hospitais do país. Ao todo, 18 unidades da federação que contam com uma regional da entidade participam da ação. São eles: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Pará, Paraíba, Pernambuco, Sergipe, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, além do Distrito Federal.

Fonte: G1 Sul de Minas

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.