Vereador Leonardo Ciacci solicita estudos técnicos para a manutenção do nível mínimo de água na represa de Furnas

Nos últimos dez anos, o nível da represa de Furnas vem diminuindo constantemente e preocupa região

Redação CSul – Iago Almeida / Fonte: Câmara Municipal de Varginha / Foto: Volnei Almeida

O vereador Leonardo Vinhas Ciacci solicitou em reunião realizada na Câmara Municipal de Varginha durante a semana, indicação ao Governador do Estado de Minas Gerais, ao Deputado Federal Dimas Fabiano, solicitando intervenção junto à bancada mineira; ao Deputado Estadual Cleiton Oliveira; ao Deputado Estadual Alberto Pinto Coelho Filho; aos Senadores da Bancada Mineira: ao Operador Nacional do Sistema Elétrico – ONS, à Associação dos Municípios do Lago de Furnas – Alago e ao Ministério de Minas e Energia, pedindo a realização de estudos técnicos e o envide de todos os esforços necessários para a manutenção do nível mínimo de água na represa de Furnas.

Em sua justificativa, o vereador explicou que Varginha é o primeiro município localizado na cabeceira da represa de Furnas e, assim, como em tantos outros municípios mineiros, a construção da represa não representou apenas um ganho em relação à geração de energia, mas também representou um fomento turístico para a região, atraindo inúmeros empreendimentos voltados para o turismo local, resultando em desenvolvimento e geração de emprego e renda para todos os municípios que margeiam o lago.

Câmara Municipal de Varginha

Porém, nos últimos dez anos, o nível da represa de Furnas vem diminuindo constantemente. Com o baixo volume de água, o comércio fica comprometido e o turismo sofre grande queda, não apenas em Varginha, mas em todos os municípios próximos banhados pelo lago, causando um prejuízo econômico muito grande para a região.

Desse modo, o vereador solicita novamente que “as autoridades elencadas envidem todos os esforços necessários para a manutenção do nível de água nas cidades que margeiam a represa, com a formação de vários lagos artificiais constantes em volume de água, os quais possam alimentar e fomentar o seu uso útil, mantendo o turismo, a pesca, a náutica, a beleza dos lagos, o emprego e a riqueza da região”, informou.

É sabido por dados técnicos que manter a quota mínima de 762 metros faz com que a água consiga atingir a todas as cidades que margeiam o lago, assegurando a exploração do potencial turístico e econômico. Entretanto, atualmente, o nível encontra-se em 755 metros, o que faz com que as cidades sejam prejudicadas. Sabe-se ainda que a variação é de 752 a 768 metros e que o lago banha 39 municípios da região sul e sudoeste do estado, sendo fundamental para fomentar a economia destas cidades.

“Tal medida significará um grande desenvolvimento à região, aquecendo o turismo, a pesca, a criação de peixes, dentre outras atividades econômicas afins, aumentando significativamente a geração de emprego e renda”, completou Leonardo Ciacci, que participou de audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, onde, na oportunidade, foi criada a Frente Parlamentar “Itamar Franco”.

Outra observação apontada pelo vereador é que, mesmo com o atual período chuvoso, o nível do lago não apresenta melhorias. “Ante o exposto, zelando pelo crescimento e desenvolvimento econômico do Município e de todos os demais que margeiam a represa de Furnas, apresento esta Indicação e solicito o apoio de todas as autoridades elencadas para a realização da medida ora apresentada”, informou em seu requerimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *