Varginha registrou 180 casos notificados de acidentes com escorpiões entre 2017 e 2019

Segundo dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde nesta quinta-feira (31), por meio do Setor de Vigilância Ambiental da Prefeitura, Varginha já registrou 180 casos notificados de acidentes com escorpiões, entre 2017 e 2019.

Somente em 2019, foram 48 notificações, até o dia 29 de outubro. Os meses deste ano que mais registraram os acidentes foram março (7), abril (7), maio (7), janeiro (6) e agosto (5). Em 2018, foram 78 casos e em 2017, 54 casos.

Conforme sexo do paciente, os homens lideram com 27 casos em 2019, contra 21 registros com as mulheres. Em 2018, foram 50 homens e 28 mulheres, e em 2017, 33 homens e 21 mulheres.

A faixa etária que mais teve casos notificados este ano foi entre 40 a 49 anos (12), seguido de 50 a 59 anos (8).

O período de chuva e calor que vive os mineiros é propício à proliferação de animais peçonhentos. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG), acidentes com animais como escorpião, cobra, formiga, abelha, vespa, marimbondo, lagartas, lacraia e aranhas costumam aumentar tanto em áreas urbanas, quanto rurais durante o período chuvoso e quente.

As vítimas desses animais devem procurar atendimento médico com urgência. Os casos graves de acidentes escorpiônicos podem piorar com a ocorrência de convulsão, coma, bradicardia, insuficiência cardíaca, edema pulmonar agudo e choque.

Prevenção

Não existe inseticida eficiente para matar o escorpião, por isso as medidas de prevenção devem ser adotadas para evitar o aparecimento dos animais. Saiba quais são elas:

  • Manter limpos quintais e jardins, não acumulando folhas secas, lixo e entulhos.
  • Colocar o lixo em sacos plásticos fechados, para evitar baratas e outros insetos.
  • Conservar camas e berços afastados, no mínimo, 10 centímetros da parede.
  • Evitar que roupas de cama toquem o chão.
  • Não pendurar roupas na parede.
  • Inspecionar roupas, calçados, toalhas de banho e de rosto, roupas de cama, panos de chão e tapetes, antes de usá-los.
  • Limpar periodicamente ralos de banheiro, cozinha e caixas de gordura.
  • Rebocar frestas nas paredes, móveis e rodapés, para que não apresentem vãos.
  • Usar telas nas aberturas dos ralos, pias e tanques.
  • Proteger os predadores naturais dos escorpiões, como calangos, lagartixas, lacraias, corujas, sapos, macacos e galinhas.
  • Manter as áreas limpas ao redor das residências, não acumular lenha e outros materiais que possam servir de abrigo para os escorpiões.
  • Remanejar periodicamente material de construção que esteja armazenado, usando luvas de raspa de couro para proteger as mãos.
  • Caso encontre um animal peçonhento, afaste-se com cuidado e evite assustá-lo ou tocá-lo, mesmo que pareça morto, e procure a autoridade de saúde local para orientações.

Fotos: Varginha Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *