Varginha fecha 1.444 vagas de emprego após início da pandemia; região acompanha ritmo

Redação CSul – Iago Almeida/Foto: Flickr

Juntas, as 10 maiores cidades da região fecharam 8.715 vagas de trabalho em 2020, segundo Ministério da Economia

O mercado de trabalho brasileiro fechou 860.503 empregos com carteira assinada em abril de 2020, de acordo com dados consolidados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira (27) pelo Ministério da Economia. O saldo foi de 598.596 admissões e 1.459.099 demissões ao longo do último mês.

Em abril do ano passado, o Caged teve saldo positivo de 129.601 postos de trabalho com carteira assinada, resultado de 1.374.628 admissões e 1.245.071 demissões. Com isso, os números mostram que houve um aumento de 17,2% nas demissões na comparação anual, enquanto as admissões recuaram 56,5%.

Em valores nominais, São Paulo teve o pior desempenho, com o fechamento de 260.902 vagas. Em seguida aparece Minas Gerais (-88.298), Rio de Janeiro (-83.626) e Rio Grande do Sul (-74.686).

De janeiro a abril de 2020, houve 4.999.981 admissões e 5.763.213 demissões no país, resultando num acumulado de 763.232 fechadas nos quatro primeiros meses do ano.

A pandemia já contribuiu para o fechamento de 8.715 postos de trabalho nas dez maiores cidades do Sul de Minas, em 2020. Monte Belo (+506), Extrema (+419) e Guapé (+149), entretanto, são destaques na geração de empregos. Poços de Caldas foi a mais prejudicada, fechando 3.121 vagas, 2.966 pós início da pandemia. Na vice-liderança aparece Varginha, que fechou 1.430 postos em 2020 (24 empregos gerados antes da pandemia e 1.444 fechados pós início da pandemia).

Pouso Alegre aparece em terceiro, com 926 vagas fechadas (244 abertas antes da pandemia e 1.170 fechadas pós início da pandemia).
Em seguida aparecem Lavras (-568), São Lourenço (-564), Itajubá (-494), São Sebastião do Paraíso (-471), Três Pontas (-467), Três Corações (-346) e Passos, quarta maior da região (-328).

Segundo o Ministério da Economia, desde 1º de abril, data da edição da Medida Provisória 936/2020, que criou o Programa Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda, foram preservados mais de 8,1 milhões de empregos no país. Além disso, foi informado que os dados do Caged agora passam a ser agrupados na mesma divisão feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): Comércio, Serviços, Indústria Geral, Construção Civil e Agricultura.

No intervalo de janeiro a abril de 2020, Agricultura teve saldo positivo de 10.032, resultado de 275.464 contratações e 265.432 demissões. O resultado da Construção Civil ficou negativo em -21.837. Comércio teve -342.748, Serviços -280.716 e Indústria -127.886.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *