Varginha está em 12º lugar no ranking das cidades mineiras melhor avaliadas

Poços de Caldas, Extrema, Lagoa Prata e Uberlândia continuam entre as 10 melhores

A crise econômica, que teve início em 2014 e causou forte recessão no país, fez com que o nível socioeconômico das cidades brasileiras retrocedesse três anos.

É o que aponta o Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal (IFDM), divulgado pelo Sistema FIRJAN (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) com base em dados oficiais de 2016, últimos disponíveis.

Apesar de a maioria dos municípios apresentarem desenvolvimento alto e moderado de forma geral (87,2%), Minas Gerais ainda responde pela maior parcela de cidades com conceito regular entre os estados do Sul e Sudeste do país.

Varginha está em 12º lugar no ranking das cidades mineiras melhor avaliadas e em 222º lugar nacional, com IFDM Consolidado em 0.8224, atrás de Andradas (2º lugar), Poços de Caldas (3º), Extrema (4º) e Pouso Alegre (9º), também no Sul de Minas.

O índice monitora todas as cidades brasileiras e a avaliação varia de 0 a 1, sendo que quanto mais próximo de 1 maior o seu desenvolvimento.

Cada uma delas é classificada em uma das quatro categorias do estudo: baixo desenvolvimento (de 0 a 0,4), desenvolvimento regular (0,4 a 0,6), desenvolvimento moderado (de 0,6 a 0,8) e alto desenvolvimento (0,8 a 1).

São acompanhadas as áreas de Emprego e Renda, Saúde e Educação e avaliadas conquistas e desafios socioeconômicos de competência municipal: manutenção de ambiente de negócios propício à geração local de emprego e renda, Educação Infantil e Fundamental, e atenção básica em saúde.

O IFDM avaliou 5.471 cidades. As novas, para as quais ainda não há dados, e aquelas com ausência, insuficiência ou inconsistência de informações, não foram analisadas.

Patos de Minas, única representante mineira entre os 100 maiores IFDMs do país, foi a melhor avaliada do estado (0,8586) no ranking geral, com alto desenvolvimento em Saúde e Educação e moderado em Emprego e Renda.

A cidade lidera o ranking estadual, assim como os municípios de Poços de Caldas, Extrema, Lagoa Prata e Uberlândia estão entre as 10 melhores, desde 2015. Todas apresentaram alto desenvolvimento no índice geral do IFDM.

Minas Gerais é o estado com maior número de municípios com baixo desenvolvimento na vertente de Emprego e Renda.

Das 842 cidades mineiras analisadas, mais da metade, 465, alcançaram desenvolvimento apenas regular em Emprego e Renda; 296 (35,2%) apresentaram baixo desenvolvimento e apenas 81 (9,6%) avançaram moderadamente.

Educação é o quesito em que as cidades mineiras mais se destacam: 60,1% apresentam alto desenvolvimento. Pela primeira vez desde o início da série histórica do IFDM, nenhum município mineiro ficou com nível de desenvolvimento regular ou baixo, e 69,3% avançaram nesta categoria em 2016, na comparação com 2015.

Na vertente Saúde, quase metade dos municípios do estado conseguiram alto desenvolvimento, e 44,1% moderada. Comparado a 2015, houve avanço de 58,4% dos municípios mineiros, com maior influência do avanço do percentual de gestantes, que vão a sete ou mais consultas pré-natal.

Foto: Edu Lacerda

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *