Varginha / Carmo da Cachoeira – Falta de energia causa transtorno a comerciantes e agropecuaristas

A constante falta de energia em diversos pontos de Varginha e também na zona rural do município e de Carmo da Cachoeira tem tirado o sono de diversos comerciantes e agropecuaristas.

Um empresário do setor de combustíveis de Varginha relatou ao CSul que a falta de energia constate desde a última segunda feira (4), tem causado grande prejuízo. Seu estabelecimento só não parou devido a um gerar movido a óleo diesel, que manteve as instalações e bombas em funcionamento, porém seu custo de operação é muito alto.

Segundo o empresário, na segunda-feira, a energia acabou às 02h e retornou somente às 19h, ficando 17 horas sem fornecimento. Se não bastasse, na terça-feira (5), novamente a energia acabou às 02h e retornou somente às 16h, ficando 14 horas sem o fornecimento. Somente nestes dois episódios, o empresário ficou 31 horas sem energia no local e teve que arcar com o prejuízo que o gerador ficou funcionando.

Já um empresário do ramo alimentício, relatou que essas faltas de energia acarretaram na perda de diversos produtos como picolés e sorvetes que derreteram, carnes descongelaram e bebidas que estragaram.

Não bastasse todo este transtorno ocorrido em Varginha, nesta quarta-feira (6), diversas fazendas localizadas próximas à divisa do município com Carmo da Cachoeira, tiveram o fornecimento de energia suspenso às 11h e o fornecimento só retornou nesta quinta feira (7), às 12h, ficando 25 horas sem energia.

Um trabalhador rural ressaltou que os transtornos que a falta de energia trás, uma vez que as crianças ficam com medo, os reservatórios de leite tem que ser mantida a temperatura por geradores, a ordenha não funciona e por aí vai.

O CSul entrou em contato com a Cemig e não obteve retorno em relação à falta de energia na zona urbana, mas a companhia emitiu nota explicando as quedas de energia na zona rural. Confira abaixo:

“A Cemig informa que as recentes interrupções no fornecimento de energia na área rural de Varginha foram causadas principalmente pela queda de árvores ou por galhos e folhas que encostam nos fios da rede elétrica, durante as tempestades de verão registradas na região.

Apesar das podas de árvores realizadas preventivamente pela Cemig, as plantações de eucalipto feitas por terceiros próximas à faixa de servidão das linhas e redes de energia tem provocado um aumento no número de ocorrências no sistema elétrico, pois além da queda sobre a rede, também ocorre falta de energia quando a casca do eucalipto começa a soltar e é levada pelo vento, enroscando nos fios. Há outras situações em que o  tronco da árvore dobra, bate nos fios da rede elétrica e volta ao estado normal com o vento, dificultando às equipes da Cemig identificar onde está o defeito. Por isso, a solução definitiva do problema demora mais.

O plantio e a manutenção de vegetação em distância segura da rede elétrica são soluções simples, que devem ser observadas pela população em geral. Como as ocorrências relacionadas à queda de vegetação na área rural são mais recorrentes onde há plantação de pinus e eucaliptos, a Cemig recomenda que o plantio respeite as distâncias mínimas da rede elétrica. Para o eucalipto, que pode atingir até 30 metros de altura, deve ser mantida a distância de 40 metros (20 em cada lateral) no entorno da rede. Isto garante menos episódios de falta de energia, mas acima de tudo evita riscos de acidentes.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *