UPA incorpora “Priorização Social” no fluxo de atendimento

Atendimento será definido por prioridades, tais como, idade, gestantes, pessoas com crianças no colo, deficiência e comorbidades.

Redação CSul/Foto destaque: Blog do Jotinha

A partir dessa quinta-feira (19), o atendimento na UPA de Varginha, além de respeitar os parâmetros de Classificação de Risco de Manchester,  englobará também as Leis de Priorização Social.

As fichas de atendimento serão separadas respeitando a Classificação de Risco identificadas pelas cores, que por sua vez, tem a escala das prioridades. Três cores definirão as prioridades desse atendimento:

  • Vermelho – PRIORIDADE 1 – para idosos com 80 anos ou mais
  • Verde – PRIORIDADE 2 – para idosos com 60 anos ou mais
  • Rosa – PRIORIDADE 3 – para as pessoas com deficiência física ou mental, gestante, lactante, pessoas com criança no colo, obesos e autistas.

O secretário municipal de Saúde, médico infectologista Luiz Carlos Coelho enfatiza que “a inclusão, a equidade e a otimização dos protocolos e fluxogramas nos nossos serviços de saúde são os pilares que norteiam o protagonismo da Secretaria Municipal de Saúde de Varginha”.

A novidade é que o atendimento aos pacientes vai respeitar também as regras do atendimento preferencial em cumprimento à lei 10.741/03 que determina prioridade para idosos com 80 anos ou mais e na sequência os com 60 anos ou mais e também à lei 10.048/00 que prioriza atender pessoas com deficiência, gestantes, lactantes, quem tem crianças de colo, obesos e autistas.

A enfermeira Máriman Silvério Michels, responsável pela incorporação da priorização social, explica que “no acolhimento aos usuários na Classificação de Risco, que é realizada por enfermeiros devidamente capacitados para tal procedimento, caso tenha mais de um paciente preferencial, será respeitada a ordem estabelecida pelo Protocolo de Manchester, seguida da ordem da Prioridade Social de acordo com o horário da ficha de atendimento e posteriormente os demais pacientes em geral”. Ela ressalta que “a gravidade clínica sempre prevalece sobre o atendimento preferencial, ou seja, um paciente Verde de 80 anos não passará na frente de um paciente de 30 anos classificado na cor laranja, porque a gravidade dessa pessoa mais nova requer prioridade no atendimento”.

O prefeito de Varginha, Vérdi Melo garante que a atualização nos serviços prestados à população é uma constante na cidade. “Estamos sempre buscando melhorar o atendimento para os varginhenses e claro, esse é um processo contínuo que passa pela qualidade e pela humanização”, afirma Vérdi.

Fonte e foto interna: Ascom Câmara Municipal de Varginha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.