Trabalho voluntário proporciona aprendizado e realiza sonho

Dona Zelma, aos 64 anos, está sendo alfabetizada graças a aulas voluntárias no Posto de Atendimento Social da PCH Boa Vista 2 em Varginha

Há cerca de dois meses,Zelma das Dores Belarmino de Souza tem a mesma rotina às quartas-feiras. Aos 64 anos, ela acorda, prepara o almoço da família e mesmo com dificuldade para caminhar, devido a um desgaste no joelho, inicia sua jornada rumo ao Posto de Atendimento Social – PAS da PCH Boa Vista 2, localizado na fazenda Cachoeira cerca de 1 quilômetro de sua casa.

Por volta das 8h, dona Zelma chega ao destino e lá é recebida pela psicóloga Amariles Andrade que utiliza o espaço para realizar um trabalho voluntário. Tanto esforço e dedicação tem um motivo mais do que especial: O sonho de aprender a ler, escrever e principalmente assinar o próprio nome.

O papel de Amariles é conduzir dona Zelma rumo a novas descobertas durante quatro horas de aulas semanais. A história das duas se cruzou exatamente no PAS durante uma oficina de artesanato para a comunidade conforme explica a psicóloga voluntária. “No dia dona Zelma me falou sobre essa vontade de aprender. Depois fui até a casa dela me oferecer para dar as aulas”, conta Amariles.

A espera de Zelma vem de longa data, “quando eu tinha nove anos comecei a estudar, mas meu pai me tirou da escola para trabalhar e ajudar no sustento da família.”, lembra. Com o passar dos anos a idosa conta que a maior tristeza era “quando chegava a um lugar e me perguntavam: ‘Você sabe assinar?’ daí tinha que pedir para colocar o dedo [forma de assinatura usando a digital do polegar].”

Com muita disciplina, já após as primeiras aulas, ela aprendeu as vogais e depois viu que juntas com consoantes formam palavras. Atualmente mostra orgulhosa que já escreve o próprio nome e identifica algumas palavras. “Agora não preciso mais pedir almofada para o dedo.”, comemora.

As aulas voluntárias para Amariles são uma via de mão dupla, “aprendo muito com a dona Zelma. Nos preocupamos em acumular saber mas o que estamos fazendo com isto? Então quando temos a oportunidade de dar um pouco de si para o outro é muito gratificante.”, encerra.

O Posto de Atendimento Social

O PAS é um espaço onde a CPFL Renováveis, empresa responsável pela instalação da PCH Boa Vista 2 em Varginha, mantém uma equipe composta por um psicólogo e uma assistente social com objetivo de fornecer apoio e acolhida para comunidade atingida pelo empreendimento.

No local são realizadas reuniões, oficinas e encontros visando estreitar a relação entre a empreendedora e a comunidade.

Fonte: Varginha Online / Fotos: Asscom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *