Preço da carne bovina aumenta 18,5% em Varginha

O preço da carne vermelha disparou em todo o país e o principal motivo vem de fora. A alta encolheu o bife no prato do brasileiro. Segundo especialistas, o aumento das exportações para China, Rússia e Emirados Árabes foi o principal motivo da alta para o consumidor.

Pelo Índice de Preços ao Produtor Amplo, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a carne bovina apareceu entre os destaques em novembro, com alta de 5,26%, dez vezes mais do que em outubro. Em novembro, o Índice de Preços ao Consumidor constatou alta de 6,04% no contrafilé, enquanto em outubro havia subido 2,69%.

A arroba do boi gordo, que equivale a 15 quilos da carne, terminou a última semana em preços recordes em quase todo o país. Em Varginha, o aumento chega a 18,5%. Para os açougueiros, existem diversas dificuldades no repasse de preço ao consumidor. De acordo com Rosana Parucci e Gilberto Braga, proprietários do Açougue Niterói, que existe há 20 anos, “com o aumento, que deixou as carnes muito caras, as vendas caíram um pouco, mas perto do Natal melhora gradativamente. Aqui no açougue o preço subiu cerca de 40%. Em média, o preço da carne bovina está entre R$20 e R$48”.

Já segundo Cleybe Batista, açougueiro há cinco anos no Açougue do Maurício, “acreditamos que a expectativa de vendas vai ser boa, por ser final de ano. Em relação ao aumento, foi bom para nós e acho que não vai atrapalhar nas vendas. O preço aqui no açougue aumentou entre 8% e 10%, mas teremos mais aumento ainda até a próxima semana”. No local, o preço médio da carne bovina sai em média entre R$39,90 e R$62.

O Índice da Cesta Básica de Varginha (ICB-UNIS), calculado pelo Departamento de Pesquisa do Grupo Unis, em parceria com a Associação Comercial, Industrial Agropecuária e Serviços de Varginha (ACIV), apresentou em sua décima primeira pesquisa de 2019, alta de 2,12% entre outubro e novembro.
Divulgada no dia 11 de novembro, a pesquisa abrange 13 produtos componentes da cesta básica nacional de alimentos e a coleta de preços é realizada nos principais supermercados da cidade. Segundo o responsável pela pesquisa, Pedro dos Santos Portugal, o aumento nesse mês é explicado principalmente pela elevação dos preços médios do tomate e da carne bovina.

Em 12 meses a cesta básica em Varginha teve aumento de 0,57% e nesse ano de 2019 o acumulado desse índice apresenta deflação de 5,36%.
Dos 13 produtos componentes da cesta básica pesquisada em Varginha, quatro apresentaram alta dos preços médios: carne bovina (7,47%), tomate (14,53%), açúcar refinado (4,71%) e óleo de soja (1,60%).
Com relação à carne bovina, esse aumento ocorreu em quase todas as capitais pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) e pode ser explicada pela diminuição da oferta e a elevação das exportações desse produto.

Redação CSul / Ana Luísa Alves

Foto: Iago Almeida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *