Polícia Civil pede prisão preventiva de suspeitos de matar comerciante

montagemA Polícia Civil pediu a prisão preventiva dos dois suspeitos de terem matado o comerciante Valdir Giongo, morto espancado a golpes de pé de cabra no último final de semana em Varginha. Os dois já haviam prestado depoimento e foram liberados, mas agora a polícia encontrou provas que incriminam os suspeitos.

“A polícia conseguiu arrecadar a ferramenta que saiu do local onde eles trabalhavam, as roupas deles sujas de sangue, tênis que eles haviam jogado fora do alojamento. Existem provas materiais do envolvimento deles nesse delito”, disse o delegado regional Eduardo Silva.

Segundo a polícia, os dois suspeitos bebiam com a vítima horas antes do crime. Ainda conforme o delegado, os dois foram levados até a casa do comerciante por um funcionário da churrascaria.

Um dos suspeitos foi preso novamente nesta quinta-feira (13). O outro é procurado pela polícia. Ele não foi mais visto após ser liberado depois de prestar depoimento. A suspeita é de que ele esteja escondido em uma cidade do interior de São Paulo, mas conforme o delegado, a expectativa é de que o caso seja resolvido em pouco tempo.

Apesar das prisões, a polícia não descarta outras linhas de investigação. Uma das hipóteses é de que o crime possa ter sido encomendado. A esposa do comerciante já foi ouvida e por estar presente na cena do crime, poderá ser interrogada novamente. A polícia informou que o funcionário que levou os suspeitos até a casa do comerciante não é investigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *