Polêmica sobre reforma do Theatro Capitólio

. " O que está havendo são distorções dos fatos.  Estamos sob a lei. A revitalização é um ato de zelo e responsabilidade com o patrimônio e com os artistas. O ambiente interno (banheiros, camarins) estavam em estado deplorável. As reformas já estavam previstas e todos os produtores foram avisados honestamente," declarou Professor Francisco de Graça Moura
” O que está havendo são distorções dos fatos. Estamos sob a lei. A revitalização é um ato de zelo e responsabilidade com o patrimônio e com os artistas. O ambiente interno (banheiros, camarins) estavam em estado deplorável. As reformas já estavam previstas e todos os produtores foram avisados honestamente,” declarou Professor Francisco de Graça Moura

Responsável pelos cuidados do Theatro Capitólio, um patrimônio cultural municipal, a Fundação Cultural de Varginha  iniciou a segunda etapa de revitalização do Theatro Municipal Capitólio.

A previsão para a obra, especificamente dos banheiros e camarins, estava prevista para os meses de janeiro e fevereiro deste ano, o que não foi concretizado pelas dificuldades financeiras do municípios e pela insuficiência de recursos. Somente após o recebimento de recursos do FUMPAC nos meses de maio e junho do corrente ano, é que será possível realizar as obras nos próximos meses.

Após entrevista para uma TV local, o diretor-superintendente da Fundação Cultural de Varginha, Francisco Graça de Moura, gerou polêmica ao conotar que os produtores de espetáculos são “frentistas” de projetos. Um dos organizadores fez declarações em sua rede social repudiando a fala do professor e questionando o modo de como ele e outros organizadores foram avisados sobre as reforma e paralisação do Theatro.

Segundo o Professor Francisco, a paralisação das atividades é decorrente do cumprimento da legislação específica. ” O que está havendo são distorções dos fatos.  Estamos sob a lei. A revitalização é um ato de zelo e responsabilidade com o patrimônio e com os artistas. O ambiente interno (banheiros, camarins) estavam em estado deplorável. As reformas já estavam previstas e todos os produtores foram avisados honestamente,” declarou Professor Francisco de Graça Moura.

teatro6
Somente após o recebimento de recursos do FUMPAC nos meses de maio e junho do corrente ano, é que será possível realizar as obras nos próximos meses
teatro4
Responsável pelos cuidados do Theatro Capitólio, um patrimônio cultural municipal, a Fundação Cultural de Varginha iniciou a segunda etapa de revitalização do Theatro Municipal Capitólio
teatro 3
A previsão para a obra, especificamente dos banheiros e camarins, estava prevista para os meses de janeiro e fevereiro deste ano, o que não foi concretizado pelas dificuldades financeiras do municípios e pela insuficiência de recursos
teatro1
Segundo o Professor Francisco, a paralisação das atividades é decorrente do cumprimento da legislação específica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *