“Pegue seus rascunhos e organize. Tem algum lugar, uma pessoa para ler” disse o escritor Manoel Dias em entrevista exclusiva ao CSul

Manoel Dias publicou seu primeiro livro em 2017.

Existem várias maneiras de eternizar sentimentos, no entanto a mais clássica delas é dedicar palavras de amor em sonetos e poesias. Desta forma o escritor varginhense Manoel Dias Santos decidiu fidelizar sua paixão a sua companheira de vida.

O varginhense conhecido como “O Garçom Poeta”, publicou seu primeiro livro “Te Amo Para Sempre no Infinito e no Além”, em 2017, na sede da Casa da Cultura, em Varginha. Desde então, Manoel segue escrevendo e disse ao CSul que novidades estão por vir.

O escritor concedeu entrevista exclusiva ao CSul, onde comenta sua trajetória escrevendo o sucesso de seu primeiro livro e a felicidade de um sonho realizado.

Manoel Dias carrega o espirito de um escritor há muitos anos. “Escrevo desde os anos 90. Fiz uma biografia, durante alguns anos, na qual não publiquei e acabou estragando com o tempo”, disse o escritor.

O varginhense disse ainda que chegou a escrever uma crônica, com o título de ‘Renascer da Mente’ e afirmou que publicará em um momento oportuno.

Sobre seu primeiro livro divulgado “Te Amo Para Sempre no Infinito e no Além”, Manoel Dias não contém palavras para expressar todo seu amor. “O livro foi todo inspirado na minha esposa, Filomena Dias. Minha eterna companheira, o amor da minha vida”.

Os desafios foram muitos. Manoel disse que teve que sair de sua zona de conforto de escrever crônicas e afirmou que se tornou mais sensível e ‘tirou o peso da caneta’.

O ‘garçom poeta’ afirmou que sua trajetória foi longa, no entanto seu reconhecimento chegou. “A poesia me deu destaque no meu ambiente de trabalho. Sou garçom e trabalhava na época na churrascaria do Eri, na qual eu apresentava as poesias aos clientes. Eu fiz várias amizades, que me ajudaram, como Stefano Gazzola (presidente do Grupo Unis) e Felipe Flausino (professor no Grupo Unis)”.

Manoel afirmou que a primeira edição de seu livro foi um sucesso e não para por aí, “hoje o livro está na segunda edição, é um sucesso”. Ele possui mais dois livros escritos, sendo um deles uma crônica e o outro de poesia e acrescentou que espera publicá-los ainda este ano.

O varginhense ainda deixou um conselho para quem quer mergulhar no mundo da literatura, “acredite que é capaz, hoje tudo é digital. Ter um livro impresso não tem preço é a felicidade de um sonho realizado”, enfatizou.  “Pegue seus rascunhos e organize. Tem algum lugar, uma pessoa para ler”, afirmou ele, otimista.

Ao longo dos anos muitos escritores lhe fizeram companhia, segundo ele, como Adelaide Carraro e Zíbia Gasparetto. O carismático escritor concluiu a entrevista reafirmando sua fonte de inspiração, “minha inspiração vem com o convívio com á parceria e meu anjo dourado, Filomena Dias”.

Redação CSul: Franciele Brígida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *