Média de notificações de dengue aumenta 350% em Varginha

mosquitãoPelo menos um caso de dengue é registrado por dia em Varginha, cidade que historicamente nunca sofreu com a doença. Na cidade, a média de notificações de casos por mês aumentou 350% em um comparativo entre 2014 e 2015. Por causa disso, tem até colégio pedindo repelente no material escolar.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Varginha, em 2014, a média era de 8,16 casos por mês. Um ano depois, a situação é de 37,5 casos por mês, o que representa um aumento de 359%. O balanço mostra ainda que neste ano são 150 casos confirmados e 815 notificações, contra 98 pessoas que foram infectadas pela doença em 2014.

A dengue trouxe também outros problemas para a cidade: hospitais cada vez mais lotados. Na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), o número de pacientes passou de 350 para 450 por dia.

A estudante Amanda Landim Teixeira faz parte destas estatísticas. Ela passou 15 dias doente. “Foi horrível. Tive que ir para a casa dos meus pais. Senti muita dor no corpo, dor de cabeça, febre”, comentou.

Escola pede repelente como “material”
A comunidade também está assustada com o avanço da doença. Em um colégio, o repelente virou item obrigatório do material escolar. Pelo menos duas vezes por dia os alunos passam o produto para se protegerem do mosquito e tem até aula de reforço sobre a dengue.

“Nós fazemos um trabalho com as crianças que é de conscientização mesmo. Eles aprendem sobre a água parada, a importância de se evitar isso e acabam levando estas informações para casa, conscientizando os familiares”, explicou a coordenadora pedagógica Aline Costa Favero da Silva.

A prova disso é o estudante Antônio Jorge Moreira, que já entendeu a importância do combate. “A dengue é perigosa. A gente fica doente”, disse o garoto de 5 anos.

foco de denguePara lidar com a demanda, a chefe da divisão de Urgências e Emergências, Rosana de Paiva Silva Morais, comentou que vai aumentar a equipe, o número de kits e até materiais para dar conta em Varginha. “Nós fizemos investimentos a mais para atender o público, ter mais medicamentos, testes mais rápidos de dengue, soros e materiais”, disse.

Diante da situação, a prefeitura também estuda formar uma comissão para discutir como combater o mosquito transmissor da dengue. “A partir de julho vamos fazer uma comissão com técnicos e com a sociedade para tratar ações contra a dengue. Neste momento, estamos dando toda a atenção para aguentar até o final de maio sem nenhum óbito, sem nenhum agravante”, comentou o secretário José Antônio Valério.

Outra medida usada pela Vigilância Epidemiológica da cidade tem sido o fumacê nas praças, terrenos e na frente das casas, embora o inseticida só faça efeito com o mosquito adulto.

“Os moradores precisam continuar tomando alguns cuidados. Quando vamos aplicar o fumacê, é importante que as pessoas abram as janelas, cubram os alimentos e tapem as gaiolas, aquários e comidas dos animais”, explicou a supervisora do setor, Vânia Aparecida Silveira Nobre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *