Hospital de Campanha de Varginha deve começar atendimentos no próximo dia 20

Na manhã desta terça-feira (5), o prefeito Vérdi Melo apresentou as instalações que foram feitas no prédio da Universidade Federal de Alfenas-Unifal 

Redação CSul – Iago Almeida / Fotos: Iago Almeida/CSul

Montado em um anexo da Universidade Federal de Alfenas – Unifal, ao lado da UPA, o Hospital de Campanha de Varginha deve começar a funcionar dia 20 de maio. Na manhã desta terça-feira (5), a estrutura provisória foi apresentada para a imprensa, pelo prefeito Vérdi Lúcio Melo.

O local contará com 55 leitos, sendo nove de terapia intensiva, seis para observação pediátrica, dois para isolamentos, seis para medicação e o restante serão utilizados para obervação e enfermaria. O Hospital contará ainda com refeitório, banheiros, local para descanso e duas recepções, separadamente, para crianças e adultos.

Os pacientes sem suspeita de coronavírus serão atendidos no local, e aqueles que tiverem com síndrome gripal serão atendidos na Unidade de Pronto Atendimento – UPA. “Diante desta pandemia que se instalou no mundo, e Varginha não tem sido uma exceção, sentimos a necessidade de separar os pacientes da UPA, Covid e não Covid, de forma a garantir a saúde da população. Neste sentido, decidimos instalar o Hospital de Campanha, no Campus Varginha da Unifal, que atenderá aqueles pacientes não sintomáticos do Covid”, explicou Vérdi.

O prefeito afirmou que as instalações devem ficar prontas nos próximos dias e a expectativa é de que o local esteja pronto para atendimento à população no próximo dia 20. Segundo ele, tudo depende da chegada de 11 respiradores que foram adquiridos pela administração municipal, e vêm direto da China, cada um no valor aproximado de R$80 mil. “Já havíamos realizado uma compra, mas o material foi confiscado no caminho, e agora estamos contando que tudo dará certo e os equipamentos chegarão em tempo de inaugurarmos na data prevista”, explicou o prefeito.

Ações da Prefeitura

Desde que a pandemia se instaurou no município, Vérdi esteve a frente da administração como prefeito, uma vez que o ex-prefeito Antônio Silva estava de férias, na época. Vérdi foi o responsável pela decisão de fechamento do comércio e da reabertura um mês após o primeiro decreto. “A situação que nós vivemos é a mesma da população. Há uma interrogação muito grande, que a cada momento nós recebemos notícias dos especialistas do pico da doença. Nós como gestores estamos preparando para que se acontecer nós tenhamos condições de atender a população”, afirmou. “Nós tomamos todas as medidas que foram necessárias, especialmente aquelas até com uma certa rigidez, em relação fechamento do comércio, abertura gradativa, tudo que é necessário nós estamos fazendo. Principalmente dando equipamentos e treinamento para os profissionais da saúde”, disse.

Sobre o aumento de casos registrados nos últimos dias, Vérdi disse que os testes rápidos que foram adquiridos pela Prefeitura tem ajudado a diagnosticar com mais pressa os casos. “Está aumentando um pouco (os casos), porque nós estamos comprando os testes rápidos, isso significa que nós temos uma informação mais dinâmica e mais rápida e isso aumenta o número de exames, tanto positivo quanto negativo. Nós estamos preparados para o enfrentamento”, concluiu Vérdi.

Segundo o prefeito, ainda esta semana, haverá uma reunião para avaliação de tudo o que aconteceu na cidade até agora durante a pandemia. “Nós vamos fazer uma avaliação e gradativamente vamos fazer umas correções que forem necessárias, quanto a horário, trabalho”, completou.

Contratação de pessoal
A Prefeitura já iniciou a contratação de funcionários temporários para atuarem no hospital de campanha e na UPA. Segundo a administração municipal, a seleção será simplificada e os interessados devem apresentar os documentos ao setor de recursos humanos da prefeitura e as contratações ocorrerão conforme demanda. Vérdi afirmou ainda que os profissionais que estão na fila de espera do processo seletivo da Prefeitura serão os primeiros a serem chamados.

A princípio serão contratados médico plantonista clínico geral e técnico em enfermagem. Caso a demanda aumente e não tenha profissionais interessados na lista do concurso, será aberto então um novo processo seletivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *