Goleiro Bruno espera passar o Natal ao lado da família em Varginha

As atenções voltaram novamente para o goleiro Bruno, depois que a filha mais nova dele, Isabela, nasceu no Hospital Regional do Sul de Minas, semana passada (13/12), em Varginha. Isabela é a quarta filha do goleiro. A mãe é a dentista Ingrid Calheiros. Os outros filhos do goleiro são Bruninho (com Eliza Samúdio) e duas meninas com a ex-mulher Dayane Rodrigues.

Conforme o advogado Fábio Gama, que representa o goleiro, a defesa já entrou com pedido da progressão de pena e o principal objetivo era que Bruno pudesse passar o Natal com a mulher e a filha.

Como Bruno trabalha no Núcleo de Capacitação para a Paz (Nucap) desde agosto deste ano e Ingrid tem autorização para frequentar o local, o goleiro deve conhecer a filha nos próximos dias.

Goleiro Bruno / Fonte: Reprodução

Bruno Fernandes está no Presídio de Varginha desde abril deste ano, quando se entregou após o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubar uma liminar que lhe concedia liberdade.

Em junho, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG) atualizou o atestado de pena do goleiro. No documento, constava que Bruno só poderia pedir a progressão de pena para o regime semiaberto a partir de 11 de março de 2019. Em setembro, porém, a pena foi reduzida após a condenação por ocultação de cadáver ser extinta.
O goleiro foi condenado por homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, asfixia e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima) de Eliza Samúdio: 17 anos e 6 meses, em regime fechado.

Por sequestro e cárcere privado do filho Bruninho: 3 anos e 3 meses, em regime aberto.
Por ocultação de cadáver de Eliza Samúdio: 1 ano e 6 meses, em regime aberto (extinta).

A condenação inicial de 22 anos e 3 meses de prisão caiu para 20 anos e 9 meses.
Com a redução, a defesa acredita que ele já cumpriu o tempo mínimo necessário para obter a progressão de pena, avançando para o regime semiaberto.

Caso Bruno consiga a progressão, deverá poder trabalhar fora do Nucap e dormir em casa, já que Varginha não possuiu albergados ou centros onde os detentos possam dormir enquanto estão no semiaberto.

Quando foi preso em 2010, Bruno era titular do Flamengo, campeão brasileiro de 2009. O goleiro também era cotado como um dos principais nomes para uma vaga na Seleção Brasileira. Com a prisão, teve a carreira interrompida por seis anos e meio.

No início de março, após conseguir uma liminar de soltura, Bruno fechou acordo com o Boa Esporte e se mudou para Varginha. No dia 26 de abril, o STF negou o habeas corpus e derrubou a liminar, mandando o goleiro de volta à prisão.

Em agosto, Bruno conseguiu autorização para trabalhar no Nucap. Segundo a decisão da Justiça, o goleiro não pode ter contato com a área externa, nem com pessoas de fora da instituição – apenas com parentes e familiares, como Ingrid.

Cerca de 60 crianças, filhos de condenados e de egressos, são atendidas pelo núcleo. No local, elas recebem alimentação e reforço escolar. As crianças também participam de atividades como natação e futebol, além de receber atendimento psicológico e da assistência social.

Fonte: Blog do Madeira / Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *