Doses da CoronaVac e AstraZeneca chegam em Varginha

Entrega aconteceu, de forma simbólica, no Hospital de Campanha da cidade.

Redação CSul/Foto: Pedro Gontijo/Imprensa-MG

Varginha recebeu, nesta segunda-feira (1º), doses das vacinas CoronaVac e AstraZeneca ambas voltadas ao combate contra o novo coronavírus. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, a cidade recebeu 1.200 doses da vacina produzida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica britânica AstraZeneca. Além disso, outras 50 unidades de uma dose da CoronaVac e 540 de 10 doses da mesma, também chegarão à cidade.

A entrega aconteceu no Hospital de Campanha, montado no Campus da UNIFAL (Universidade Federal de Lavras). Participaram da cerimônia, além das autoridades municipais, o Secretário-Adjunto de Saúde de Minas Gerais, Marcelo Cabral. Após o ato, 10 profissionais da saúde que atuam no local serão imunizados.

A primeira dose da vacina AstraZeneca foi aplicada na Agente Comunitária de Saúde, Dirceia Maria Costa, que não escondeu a felicidade e agradeceu a Deus pela oportunidade.

Agente Comunitária de Saúde foi a primeira a receber a dose da AstraZeneca/Foto: Prefeitura de Varginha

Em seu pronunciamento, o prefeito Vérdi Melo agradeceu ao governo do Estado pela proximidade com os municípios e pela maneira como vem conduzindo todo tipo de estratégias de combate à covid-19, dando todo o suporte aos prefeitos. “Vivemos um momento difícil onde decisões precisam ser rápidas e certeiras. Hoje, nosso maior desafio e fazer com que a população compreenda a gravidade deste momento e faça sua parte” – disse.

Grupos prioritários

De acordo com a prefeitura, profissionais de saúde continuarão como público-alvo para vacinação. Além destes profissionais, idosos também fazem parte do grupo prioritário definido no Plano Nacional de Imunizações – PNI (profissionais de saúde da linha de frente e idosos asilados).

Em Varginha, foi concluída – de forma parcial – a vacinação dos idosos asilados, que moram no Lar São Vicente de Paulo e em outros asilos particulares da cidade. Vale ressaltar que, segundo o Secretário Municipal de Saúde, Doutor Luiz Carlos Coelho, a imunização entre os asilados só não foi completa devido à recusa de três idosos, por decisão pessoal ou de familiares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.