Detran justifica atrasos em serviços e anuncia ‘força tarefa’ em julho para regularizações

Moradores reclamaram de demora em atendimentos e vereador Carlúcio Mecânico questionou serviços do departamento

Redação CSul – Iago Almeida / Foto: Blog do Madeira

Após série de reclamações por parte de moradores, que indicavam demora nos serviços prestados pelo Departamento de Trânsito de Varginha – Detran, o 6º Destacamento de Polícia Civil da 2ª Delegacia Regional de Varginha emitiu nota de esclarecimento sobre os serviços das vistorias veiculares.

Devido a pandemia do Coronavírus, as vistorias estão sendo realizadas somente por agendamento online, através do site www.agendamento.prodemge.gov.br. Segundo o departamento, “devido a paralisação total dos serviços relacionados ao trânsito, houve acúmulo do passivo que estamos trabalhando para regularizar os atendimentos, em especial as vistorias veiculares. Nesta semana, dobramos a capacidade de atendimentos de 30 para 60 vistorias por dia”, informou.

“Cumpre ressaltar que os serviços desta Ciretran retornou de forma gradativa, como determinado pela Chefia, afim de protegermos a saúde dos servidores policiais lotados no setor, os quais são de número reduzido, visto que se trata de trabalho essencialmente presencial, medida esta que se impõe no atual momento em que vivenciamos, evitando as indesejadas e proibidas aglomerações”, completou.

Na última semana, diante o cenário de reclamações, o vereador Carlúcio Mecânico apresentou na Câmara de Varginha um requerimento no qual solicitava informações ao Governo do Estado e ao Departamento Estadual de Trânsito de Minas Gerais – Detran, sobre os serviços do departamento.

Segundo o parlamentar, existe a informação que em outros municípios como Três Corações e Lavras, o serviço está funcionando normalmente, porém aqui em Varginha está ocorrendo uma demora considerável. “A demora na entrega de documentos e também na realização de vistorias de veículos aqui em Varginha tem prejudicado a nossa população. Por isso apresentei este requerimento na Câmara cobrando providências e respostas do Detran sobre essa situação”, disse.

Senhas estão sendo distribuídas pelo Detran ao público, sendo 20 na parte da manhã e 20 na parte da tarde. Além disso, o departamento informou que realiza também as restituições de veículos apreendidos, que são atendimentos prioritários, segundo eles, visto que a cada dia que passa novos custos são gerados aos proprietários dos veículos.

Força Tarefa

O departamento anunciou ainda que prepara uma força tarefa para o mês de julho, com objetivo de regularizar os atrasos das vistorias.

Segundo o Art120 do Código de Trânsito Brasileiro, “todo veículo automotor, elétrico, articulado, reboque ou semi-reboque, deve ser registrado perante o órgão executivo de trânsito do Estado ou do Distrito Federal, no Município de domicílio ou residência de seu proprietário, na forma da lei”. Se o novo dono não realizar a transferência dentro de 30 dias, ele poderá pagar uma multa de quase R$200.

“Pedimos maior compreensão da população e reiteramos nossos esforços para a solução desse problema, bem como lembrando a todos os proprietários de veículos automotores que não terão prejuízos financeiros por eventuais atrasos, visto que os prazos se encontram todos suspensos por tempo indeterminado, conforme consta na Deliberação do Contran de nº 185, de 19 de março de 2020”, encerrou a nota.

Operação Êxodo 23

Em março, diante de outras reclamações, o delegado responsável pela Delegacia Regional de Trânsito havia informado que a situação ainda era reflexo da Operação Êxodo 23, desencadeada pelo Ministério Público em dezembro do ano passado, que investigou um esquema de corrupção no setor de trânsito de Varginha e Elói Mendes.

A operação cumpriu 16 mandados de prisão preventiva e 21 de busca e apreensão. Entre os detidos estavam delegado, policiais civis e servidores do Detran. Além das prisões, foram fixadas medidas cautelares e o afastamento das funções públicas dos investigados.

O departamento informou ainda que está trabalhando com quadro de funcionários reduzido desde a operação, uma vez que, os cargos que ficaram em aberto após as prisões, ainda não foram preenchidos e necessitam de concurso público, ainda sem previsão de acontecer.

Em março, o delegado de trânsito de Varginha, policiais civis e servidores do Detran foram alvos da Operação “Êxodo 23”, do Ministério Público de Minas Gerais / Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *