Detentos de Varginha confeccionam máscaras para eleitores

Justiça Eleitoral, Comarca de Varginha e empresários fazem parceria para confecção dos materiais.

A partir de uma parceria com a Justiça Eleitoral e a Cooperativa de Crédito (Credivar), a 1ª Vara Criminal e de Execuções Penais da Comarca de Varginha (Sul de Minas) viabilizou a confecção de máscaras de proteção que serão entregues aos cidadãos que comparecerem às sessões de votação sem o protetor facial. Uma parte das máscaras será feita por detentos do Presídio de Varginha, no Sul de Minas Gerais, dirigido por Welton Donizeti Benedito, e outra fornecida pela Credivar.

O juiz Tarcísio Moreira de Souza, da 1ª Vara Criminal e Execuções Penais, que participou da execução do projeto, destaca que a iniciativa contribui para a segurança da população contra a disseminação do novo coronavírus e a ressocialização dos presos.

Ao todo, 5 mil máscaras serão confeccionadas para o dia das Eleições Municipais


Parceria

O projeto foi idealizado pela juíza eleitoral, Maraiza Francisca Escolástica Maciel Costa juntamente com o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargador Alexandre Victor de Carvalho. Ambos consultaram o juiz Tarcísio Moreira sobre a possibilidade de que detentos de uma unidade prisional da região confeccionassem o produto para uso no dia das eleições.

A proposta foi aceita, porém, em função da grande quantidade necessária, somente a produção dos presos não seria capaz de atender a demanda. Diante disso, os magistrados firmaram uma parceria com a Credivar que, além de produzir 8 mil máscaras, fornecerá também o material para que os detentos confeccionem outras 5 mil unidades. A cooperativa de crédito é dirigida por Ricardo Borges e gerenciada por Sebastião Dominguetti,

As proteções serão oferecidas para os eleitores de Varginha, Monsenhor Paulo, Carmo da Cachoeira e Éloi Mendes.

Benefícios

Parcerias com unidades prisionais são amplamente incentivadas pelo Judiciário. O juiz Tarcísio Moreira de Souza destaca que os detentos do Presídio de Varginha já haviam produzido máscaras para a Secretaria de Saúde da região.

Para o representante do Judiciário, essas parcerias são importantes na medida em que auxiliam a ressocialização e oferecem benefícios na execução da pena. “O trabalho na unidade prisional é muito importante porque ele faz com que o preso tenha perspectiva de melhora da sua situação, fique mais comportado e tenda a se ressocializar mais rápido com a oportunidade de poder trabalhar”, disse o magistrado.

Fonte e foto: TJMG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *