Cemig duplicará capacidade de subestação de energia em Varginha

Atenta ao desenvolvimento econômico da cidade de Varginha, a Cemig está investindo R$ 6,3 milhões na ampliação da capacidade da Subestação Varginha 2, localizada no bairro Resende.

Com esta ampliação, será duplicada sua capacidade de 25 mil para 50 mil kW., beneficiando diretamente cerca de 10 mil consumidores do município, além de suprir o crescimento da demanda de energia do Shopping Via Café e do Distrito Industrial, atendendo diretamente as empresas Eletroplastic e o Porto Seco.

A ampliação da subestação envolve obras complexas, incluindo a instalação de mais um transformador. Também estão sendo readequadas as saídas dos circuitos de distribuição (alimentadores) para melhor aproveitamento da nova capacidade de carga.

Segundo o Gerente de Expansão de Média e Baixa Tensão da Distribuição, Wellington Gleydson Cabral, a Cemig está investindo para que a população receba energia com qualidade e segurança.

“As obras de ampliação da subestação e de adequação das saídas das redes de distribuição de média tensão vão aumentar a oferta de energia e permitir atender ao crescimento  de mercado, contribuindo para o desenvolvimento econômico da região”, informa.

Para minimizar o impacto para a população, grande parte dos serviços está sendo realizada por equipes especializadas que trabalham com a rede energizada, entretanto, em alguns momentos, os consumidores podem perceber efeitos das obras em curso, como desligamentos de curtíssima duração (piques) em alguns pontos da cidade, como no bairro Centenário e adjacências.

“Pedimos a compreensão da população, pois, apesar de eventuais desconfortos temporários, as obras que estão sendo realizadas trarão benefícios importantes ao município”, explica Wellington Cabral.

Conta de luz pode ficar até 25% mais cara

A partir do dia 28 de maio, a conta de energia elétrica ficará mais cara. Isso porque a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) anunciou, durante apresentação de seu balanço trimestral, que o reajuste, de cerca de 25%, faz parte da revisão tarifária que é realizada a cada cinco anos.

“Esse reajuste varia de acordo com a categoria, ou seja, a indústria pesada é um tipo de reajuste e na residência das pessoas é outro reajuste, ou seja, sempre nós estamos falando de uma tarifa média”, explica Maurício Fernandes, diretor de finanças da Cemig.

O valor, porém, não é cravado. No próximo dia 22, uma reunião com a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) irá homologar o real aumento na tarifa de energia elétrica.

Balanço

No primeiro trimestre de 2018, a Cemig investiu cerca de R$ 182 milhões na rede de distribuição da sua área de concessão. O valor faz parte do total de investimentos do ciclo tarifário 2013-2018, que correspondem a um total de R$ 5,1 bilhões em cinco anos.

A companhia informou que teve lucro líquido de R$ 465 milhões, crescimento de 35,6% em relação ao mesmo período em 2017.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *