Câmara entrega título de cidadania honorária ao Padre Heitor Rafael

Pároco da Paróquia do Divino Espírito Santo visitou CSul, falou sobre projetos e agradeceu título recebido: “Pra mim não é mais um título, é um reconhecimento do meu trabalho”

A Câmara de Varginha entregou, em sessão solene realizada na noite do último dia 29 de agosto, o Título de Cidadão Honorário Varginhense ao Padre Heitor Aparecido Rafael, mais conhecido como Pe. Rafael. A solenidade contou com a presença de autoridades municipais, familiares e amigos do homenageado, além de fiéis da paróquia Matriz do Divino Espírito Santo, onde o pároco exerce seu ministério.

Carolina Lima/CSul

A entrega do título atendeu uma proposição do vereador Joãozinho Enfermeiro e foi aprovada por unanimidade pelos vereadores da cidade. Após receber o título das mãos do vereador Joãozinho Enfermeiro, pelos relevantes serviços prestados à comunidade, Padre Rafael agradeceu emocionado a homenagem.

O padre se mostrou orgulhoso pelo título recebido e agradeceu muito ao vereador que o indicou para o reconhecimento. “Ser cidadão da cidade, eu me senti assim, não é uma virtude, mas senti muito orgulho. Pras outras pessoas podem falar que é mais um título, mas pra mim não é mais um título, é um reconhecimento do meu trabalho. Eles me indicaram para dizer que vou ser co-cidadão com eles, vou pensar, lutar pelos diretor da cidade, por tudo aquilo que a gente faz, como um varginhense. E foi assim que eu aceitei, com muito orgulho”, disse.

“Agradeço a presença do povo, tinha muita gente, eu não esperava. Tinha muita gente presente e eu fiquei muito feliz. Eu tenho muitas referências aqui na cidade e do jeito que eu fui acolhido eu agradeço e farei tudo o que for possível como padre, como cidadão, para que a nossa cidade seja uma cidade melhor do que é. Podem contar com meu trabalho, minha dedicação. É uma honra mesmo hoje ser cidadão varginhense. Agradeço também o vereador Joãozinho Enfermeiro, ele que me convidou para fazer parte dessa grande honra da cidade”, completou.

“Quando eu proferi meu discurso na Câmara Legislativa eu dizia o seguinte: agora eu falo com vocês como varginhense, então como varginhense eu gostaria que vocês me escutassem. Ai eu pedi para eles atenção com a cidade, com a questão do desemprego, com os nossos jovens, as drogas, os vícios, o nosso trânsito. Eu me senti no direito como varginhense, de falar pra eles, que isso que eu gostaria que a minha cidade tivesse, esses cuidados, atenção”, enfatizou Padre Rafael.

Em entrevista ao CSul, o vereador Joãozinho Enfermeiro mostrou satisfação ao entregar o título tão importante para a cidade, ao padre. “Falar do Padre Rafael é falar do amor aos irmãos, é expressar a vida através dos olhos de Santo Agostinho e de sua fala: tarde de amei. Com muita satisfação entreguei o título de cidadão honorário ao Padre Rafael pelo reconhecimento do trabalho que ele desenvolve na comunidade e em nosso município. Foi uma noite de casa cheia onde recebemos no plenário da Câmara, autoridades civis, militares e religiosas, representantes das diversas atividades da igreja como pastoral do dízimo, cpp, pastorais, ministros da sagrada comunhão, canto e demais lideranças ativas da Paróquia do Divino Espírito Santo, além do público em geral que veio para prestigiar ainda mais esta homenagem. Um verdadeiro encontro de família na solenidade que muito nos honrou”, disse o vereador Joãozinho.

Visita ao CSul

Nesta terça-feira (10), o mais novo cidadão varginhense visitou o CSul, agradeceu o título recebido e conversou sobre seu ministério e serviços na cidade.

Carolina Lima/CSul

Padre Rafael está há 4 anos a frente da Paróquia do Divino Espírito Santo em Varginha e deve permanecer por mais dois, pois segundo ele, hoje, um sacerdote fica em uma paróquia por no máximo seis anos. O pároco disse que “desde que eu fui transferido para Varginha, que eu cheguei aqui em 2005 na minha primeira passagem, eu fui muito bem acolhido, eu me senti muito bem. Um povo religioso, um povo que facilitava esse tipo de transição de um lugar para o outro. Aqui vivi quatro anos e senti muito quando tive que sair de Varginha. Mas voltei, voltei por escolha minha, pois eu pedi que se fosse para sair do Pará, onde estava, eu preferia voltar para Varginha”, disse.

O padre citou que nunca viu uma crise religiosa na cidade, como pôde ser vista em grandes centros, onde igrejas evangélicas surgiram em bairros, casas, onde não possuía uma unidade da Igreja Católica e que os padres da cidade trabalham juntamente com os fiéis, aproveitando todas as oportunidades de evangelizar o povo.

“Hoje a leitura que eu faço é que a Igreja começou a ganhar corpo de novo. Hoje ainda existe dificuldades nos grandes centros, mas, por exemplo, Varginha nunca teve uma crise religiosa. Até temos denominações, e se pra nós, é um espaço onde a pessoa se encontra com Deus, onde possa viver uma vida digna, louvado seja, mas aqui a referência é o catolicismo, e um catolicismo diferenciado. O povo de Varginha é próximo do padre e o padre próximo deles. Nós não nos colocamos acima da população. Todos que querem ter acesso a um sacerdote em Varginha, e eu digo pela minha paróquia, tem acesso. Pelo menos, nós dehonianos, aproveitamos todos esses momentos. Eu pelo menos não perco um momento sequer de evangelizar, seja num casamento, seja num batizado, aonde eu posso a gente vai estar lá”, afirmou.

Projetos do padre

Diocese da Campanha

A Paróquia do Divino não é a maior, em termo territorial, de Varginha, ficando atrás somente da Paróquia Nossa Senhora do Rosário, mas é a mais populosa. Com 37 missas celebradas semanalmente e 35 funcionários entre a loja, Casa Paroquial, Cenáculo e as outras comunidades da paróquia, os quatro padres trabalham efetivamente para desenvolverem seus ministérios e atenderem a todos os fiéis de forma contínua e árdua. Padre Miguel, de 90 anos, também pertence a Paróquia do Divino, mas pela idade, não exerce funções específicas na comunidade.

“Hoje eu não quereria mais ir pra formação. Eu gosto de paróquia, gosto de povo. O que eu puder fazer, eu farei. Eles não me dão tempo e eu também não dou tempo. O tempo todo movimentando, o tempo todo fazendo alguma coisa, uma reforma ali, outra reforma aqui”, disse.

Uma parceria também entrou em vigor com a Paróquia Cristo Luz dos Povos, representada pelo pároco Sebastião para melhor atender os bairros Carvalhos e Cruzeiro do Sul, comunidades novas e que estão em fase de crescimento. “O social nós estamos trabalhando muito agora com a nossa pastoral Social, fizemos uma parceria com a paróquia Cristo Luz dos Povos, é uma paróquia co-irmã da paróquia do Divino. Vinham muitas pessoas da paróquia Cristo Luz dos Povos, da comunidade Novo Tempo (bairro), vinham muito na Matriz. Eu chamei o Padre Sebastião e combinamos que ele organizaria a pastoral social lá, com atendimentos, fichas, cadastros e tudo mais e aquilo que a Igreja do Divino puder, eu vou ajudar. Estamos ajudando esse povo que nos procuravam, mas através da paróquia deles”, explicou ele.

Gazeta de Varginha

“O projeto pra esses últimos dois anos é fazer uma pastoral de conjunto, ou seja, as pastorais trabalharem juntas. A Pastoral Familiar trabalhar com a da Criança, a Pastoral dos Ministros da Sagrada Comunhão trabalhar com a Pastoral da Saúde. Todos fazem parte da igreja, então, o que um setor ou pastoral pode fazer para ajudar a outra? Quando sair daqui quero deixar pra eles o que é uma igreja que trabalha em comunhão. Não quero deixar ‘paróquinhas’ aqui, quero deixar comunidades que trabalham juntas”, disse Padre Rafael.

No Hospital Regional, missas são celebradas de segunda à sábado às 16h30 e domingo às 9h. Segundo Padre Rafael, um projeto para melhorar a visitação aos doentes está sendo elaborado junto ao diretor do hospital. “Já conversei isso com os padres da cidade, quando for pedido pra vocês, se for de manhã urgente, tudo bem, se for a tarde, liga pra Matriz pois estaremos lá. Quem visita um, visita dois. Se for de manhã não vai esperar até a tarde para visitar um doente, mas se for a tarde, nós vamos lá, é só passar pra gente o quarto, a situação do doente. Estive conversando com o diretor do Hospital, de termos um controle, pois corre o risco de ir lá no Tiãozinho, lá no Josimar, então estou conversando com o diretor para ver isso também”, completou.

Já sobre o Cenáculo, o padre explicou que a agenda de 2020 está lotando e que o local é utilizado por todas as paróquias da cidade. “Já preenchemos quase 30 finais de semana de 2020, mais da metade dos finais de semana do ano. Outras paróquias também utilizam o espaço para realização de encontros e eventos”, finalizou.

Biografia de Padre Rafael

Carolina Lima/CSul

Heitor Aparecido Rafael, mais conhecido como Pe. Rafael, nasceu no dia 12 de outubro de 1968 na cidade de Lavras – MG, filho de Antônio Rafael (in memoriam) e de Maria do Rosário Rafael. Vem de uma família de sólida formação religiosa. Fez acompanhamento vocacional com os padres dehonianos.

Em 1989 resolveu iniciar sua caminhada vocacional no Seminário São José em Rio Negrinho – SC, nesta casa de formação cursou o propedêutico e o postulantado. Em seguida foi ao noviciado Nossa Senhora de Fatima em Jaraguá do Sul –SC, onde professando os conselhos evangélicos de pobreza, castidade e obediência tornou-se religioso dehoniano no dia 25 de fevereiro de 1994. No mesmo ano foi para convento de Brusque cursar filosofia, durante três anos fez parte da comunidade religiosa dessa casa, no final do período de 3 anos licenciou-se em Filosofia pela Fundação Educacional de Brusque e Universidade Federal de Florianópolis.

No ano seguinte foi transferido para o Instituto Menino de São Judas Tadeu – SP, durante este período de tirocínio dedicou-se aos cuidados de menores carentes como religioso dehoniano ( título de frater) e pós-graduou em Comunicação Social pela Universidade São Francisco com um trabalho acadêmico numa ótica sociológica das igrejas eletrônicas, como elemento novo na cultura contemporânea”.

Em 2000 foi para última etapa formativa no conventinho Sagrado Coração de Jesus com objetivo de receber o presbiterado como religioso dehoniano em Taubaté – SP, ali iniciou seus estudos teológicos na Faculdade Dehoniana por um período de 4 anos. No final desse período defendeu o exame de DE UNIVERSA e apresentou a síntese teológica na área de teologia sistemática com o tema “Eucaristia como fonte de solidariedade”. Especializou-se em ética teológica pela PUC do Rio de Janeiro.

Neste mesmo período de 2000-2003 recebeu as ordens menores do Leitorado, acolitato. No final dessa etapa formativa, professou seus votos perpétuos e no final da teologia recebeu o primeiro grau do sacramento da ordem Diaconado.

Durante o ano de 2004 exerceu seu ministério diaconal em Rondon e Guaporema Noroeste do Paraná. No final daquele ano, no dia 18 de Dezembro de 2004, recebeu o segundo grau do sacramento da ordem, quando foi ordenado presbítero da Igreja Católica Apostólica Romana em Lavras – MG.

No início de 2005, ainda vivendo suas primícias sacerdotais, foi enviado para formar comunidade religiosa na paroquia do Espírito Santo e designado para exercer seu ministério sacerdotal nessa mesma paroquia na cidade de Varginha, onde trabalhou por três anos, tendo como pároco Pe. José Everaldo Germano da Silva, que o designou para trabalhar por 3 anos na comunidade Nossa Senhora de Fátima, no inicio de 2008 foi elevada pelo Bispo Diocesano Dom Diamantino Prata de Carvalho, ofm a paróquia Cristo Ressuscitado hoje leva o título de Paróquia Nossa Senhora de Fátima.

Nesse mesmo período foi assessor provincial dos párocos e vigários paroquiais, a assumiu assessoria provincial dos Leigos Dehonianos. Já na Diocese foi assessor do secretariado da juventude e do Cursilho de Cristandade a pedido do nosso Bispo. No final de 2007, foi enviado a sua cidade natal Lavras, para assumir a função de diretor no Seminário Dehonista e ali formar comunidade religiosa.

Em Lavras além da função de diretor ele foi eleito superior do setor dehoniano em Minas Gerais – setor 5, membro da comissão de formação da província e conselheiro provincial da Província BSP, ainda durante esse governo foi coordenador da Comissão de Revisão de obras da província.

No final do segundo triênio como diretor do seminário dehonista, foi novamente transferido como vigário paroquial para a querida Paróquia Divino Espirito Santo em Varginha. Em 2014 chega em Varginha para formar comunidade com seus confrades dehonianos, ficando como vigário paroquial e responsável pela comunidade Santa Rita de Cássia.

No dia 13 de fevereiro de 2016, na missa solene com nosso Bispo Dom Pedro Cunha Cruz, tomei posse como pároco da paróquia do Divino Espírito Santo. No dia 28 de fevereiro Pe. Rafael, num encontro de lideranças teve seu primeiro contado com as diversas pastorais, movimentos, associações, ministérios e fraternidades dessa quase centenária paróquia. Naquele mesmo mês por indicação do nosso Bispo Diocesano foi designado para assessor da Conferencia dos Religiosos do Brasil – núcleo da CRB – Diocese da Campanha e membro do Conselho Diocesano de Pastoral e Conselheiro Presbiteral.

Redação CSul – Iago Almeida / Fotos: Câmara Municipal de Varginha

Fotos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *