Alunos do curso de Arquitetura propõem novos espaços de convivência em Varginha

Você já ouviu falar de parklets? Eles surgiram nos EUA com o objetivo de gerar uma discussão sobre a igualdade do uso do solo. A ideia foi difundida em todo o mundo e chegou no Brasil em 2012.

Os parklets são praças que ocupam vagas de estacionamento em vias urbanas e que funcionam como uma extensão da calçada. São espaços públicos criados para o lazer e a convivência. Qualquer pessoa pode utilizar o parklet, que geralmente tem bancos, mesas, lixeiras, plantas, entre outros itens.

Pensando na ideia da discussão de trazer para Varginha espaços como esse – muito comuns em grandes centros – os alunos do curso de Arquitetura e Urbanismo do Unis montaram parklets em diversos pontos da cidade. A atividade fez parte da Virada Varginha, que ocorreu na última semana.

As criações foram feitas com material reciclado e trouxeram pontos de descanso e interação para os varginhenses. Eles ficaram disponíveis por alguns dias. O objetivo foi despertar na população a importância de intervenções como essas no cotidiano da cidade. “Os parklets foram criados pelos estudantes e colocados em pontos estratégicos para que os varginhenses sentissem a importância da intervenção na dinâmica da cidade. Algumas pessoas reclamaram da questão das vagas terem sido ocupadas e vimos isso como positivo, pois demonstra que o problema da urbanização desenfreada traz diversos impactos, como a questão do trânsito. Nosso papel foi demonstrar como precisamos estar atentos e abertos às modificações para que a cidade em que vivemos esteja cada vez melhor e mais preparada, pois a tendência é o crescimento urbano seguir”, relata o Gestor das Engenharias, Arquitetura e Tecnologia do Unis, Prof. Me. Luiz Carlos Vieira Guedes.

Estatísticas apontam que, enquanto um parklet ocupa uma vaga de estacionamento, que, em média, é utilizada por 40 carros em um dia, a intervenção atende 300 pessoas neste mesmo período, melhorando a interação e a convivência, além de promover o uso democrático do solo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *