ACIV realiza reunião para debater dificuldades nas obras de revitalização

Após solicitação de diversos comerciantes da região central de Varginha, a ACIV realizou na manhã da última sexta-feira (22), uma reunião com representantes da Prefeitura. Estavam presentes o engenheiro da Secretaria de Obras, Marcelo Itamar Bocoli, o Secretário Municipal de Planejamento Urbano, José Manoel Magalhães e o Diretor do Setor de Fiscalização, José Roberto Peloso. Representantes da empresa responsável pela obra também foram convidados, mas não compareceram.

O presidente da ACIV, Anderson de Souza Martins, deu início a reunião falando dos diversos esforços da entidade, a fim de representar os comerciantes da cidade. “A revitalização é um projeto que a ACIV vem pleiteando há muitos anos junto à Prefeitura Municipal e que recebemos com muita alegria quando anunciado, porém, os comerciantes do atual trecho onde as obras se encontram estão passando por muitos problemas e o principal deles é o atraso nas obras. Estamos em contato constante com o Secretário de Planejamento, seja por telefone, por ofícios e até mesmo por WhatsApp, sempre buscando respostas para as solicitações dos empresários”, disse o presidente.

O objetivo do encontro, segundo a Associação, foi expor aos representantes da Prefeitura o posicionamentos e a insatisfação dos comerciantes, para que os responsáveis pela obra possam tomar as devidas providências.

A empresária, Marly Silva, proprietária do Supermercado Oba Oba, fez o uso da palavra e falou dos problemas que tem enfrentado devido as obras. “Queria deixar claro que não sou contra o projeto, eu sou contra a maneira que está sendo executado. Já se passaram 46 dias e o projeto inicial era para 60 dias, o que eu já acho um absurdo. Essa obra tinha que estar sendo feita aos sábados, domingos e feriados, de dia e de noite. Conversei com o Fernando, proprietário da empresa que está executando as obras e ele me disse que não era possível, pois o Ministério do Trabalho não permitia, fui até o Ministério e isso não procede, todo mundo pode trabalhar desde que se pague legalmente”, falou. Marly explicou também que as obras tem causado desconforto tanto aos clientes, quanto aos empresários, prejudicando a todos. “É importante que as autoridades saibam que essa obra está gerando estresse aos nossos clientes. O nosso cliente não vem mais para o centro, ele não tem caminho, ele não consegue chegar, pois várias ruas estão interditadas ao mesmo tempo. Precisamos que as obras sejam rápidas, passo todos os dias pelo local e para uma obra desse tamanho estamos a semana toda com apenas quatro funcionários da obra na rua”. Ela disse ainda que as obras já estão causando demissão no comércio: “Eu tinha três funcionários em contrato de experiência e dispensei todos eles, porque significa pra mim uma grande economia no mês, pois as contas não param de chegar”, concluiu.

Os comerciantes presentes reclamaram ainda da falta de vagas pra estacionar, planejamento das obras em datas comemorativas, banheiros públicos e também de diversos acidentes que estão acontecendo com os pedestres circulando nos trechos das obras.

Wagner de Brito Pio, proprietário do Grupo Central, e vice-presidente da ACIV, destacou a importância da realização das obras e que é preciso definir se vamos dar vagas para os carros ou mais conforto ao pedestre, com calçadas largas e mais seguras. “O problema da falta de estacionamento, muitas vezes é causada pelo próprio lojista, que chega cedinho, para seu carro lá e fica o dia todo. É necessário que a gente tenha uma visão de conjunto, é importante o que está sendo feito, porém, eu tenho que concordar que a obra está demorando 3 ou 4 vezes mais do que foi conversado”, finalizou.

Com a palavra o secretário respondeu aos pontos questionados pelos lojistas. “Na questão do estacionamento, toda a parte do centro que está passando por revitalização, até o Jardim do Sapo, se tornará uma Zona Cultural, a ideia é trazer benefícios especiais para pessoas que investirem em estacionamentos particulares nessas áreas”. Quanto aos banheiros públicos, o secretário destacou que os únicos disponíveis estão na praça da fonte e que não sabe onde é possível colocar mais banheiros, mas que caso tenham sugestões, serão bem-vindas.

Com relação as datas sazonais (Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia dos Pais, Dia das Crianças e Natal), José Manoel disse que desde o início da revitalização, as obras têm parado nestas datas para não prejudicar a venda no comércio e que o plano seguirá com o cronograma, parando as obras durante essas datas de grande movimento no comércio.
O secretário falou ainda sobre os atrasos nas obras: “Nós havíamos programado a obra para seis semanas, tivemos algumas interferências que não contávamos, uma delas foi o período de duas semanas de muita chuva, eu gostaria muito que os representantes da empresa estivessem presentes e que eles falassem sobre essas interferências. Mandamos mais de dez e-mails notificando a empresa para que ela colocasse mais funcionários e trabalhassem a noite e finais de semana, mas o retorno que tivemos é que não era possível devido a problemas com o Sindicato e Ministério do Trabalho. O que nós conseguimos deles, nesta quarta-feira, é que na próxima semana, duas equipes maiores estarão trabalhando no centro e acredito que isso vá se cumprir”, finalizou.

Fonte e foto: ACIV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *