Soltura de acusado de chefiar tráfico será investigada, em Alfenas

O homem foi solto na manhã do dia 3 e à tarde a sua prisão foi transformada em preventiva, mas ele já estava na rua

A liberação de um homem acusado de chefiar uma quadrilha do Presídio de Alfenas será analisada em um procedimento investigativo a ser aberto pela Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi). O caso se refere a soltura, no último dia 3, de Kléber da Silva Pereira, conhecido como Ditão, 35 anos.

O homem foi preso no dia 4 de setembro, acusado de chefiar o tráfico no bairro Vila Nova, em Poços de Caldas. Ele foi transferido para o Presídio de Alfenas e liberado na manhã do dia 3 de outubro, o que gerou questionamentos. O prazo da prisão temporária do acusado, que era de 30 dias, expirou e ele foi liberado antes que a sua prisão fosse transformada em preventiva.

De acordo com informações divulgadas pelo jornal Poços Já, Ditão deveria ser mantido na unidade prisional de Alfenas até a última quarta-feira (dia 3), mas ele foi liberado logo no início da manhã, por volta das 8h. No período da tarde, quando foi cadastrada a reversão da prisão temporária para preventiva, o suposto erro foi descoberto, mas ele já estava na rua.

Outro lado

Questionada pela imprensa de Poços de Caldas, a assessoria da Suapi divulgou uma nota na qual afirma que não houve falha na contagem dos dias de cumprimento da pena. Segundo a Suapi, o prazo da detenção é contato desde o primeiro dia da prisão e não a partir do dia seguinte da mesma. Neste caso, portanto, a prisão por 30 dias corridos seria contabilizada de 4 de setembro a 3 de outubro. Com isso, a Subsecretaria afasta a tese de que teria que aguardar até às 23h59 do dia 3 para realizar a soltura.

Apesar de entender que o procedimento adotado foi correto, a Suapi informou que o caso será apurado em procedimento interno. “Mesmo não havendo impedimento para a soltura de Kléber da Silva Pereira, a Suapi abrirá um procedimento administrativo para apurar possíveis inconsistências nos procedimentos”, esclarece.

Ditão foi preso em Limeira, interior de São Paulo, na Operação Audacium, da Polícia Civil, acusado de fazer parte de cúpula de uma quadrilha que agia no tráfico de drogas em Poços de Caldas. Ele foi o 20° preso na operação policial.

Fonte: Alfenas Hoje / Foto: Polícia Civil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *