Situação emergente de aterro sanitário é controlada após denúncias, em São Sebastião do Paraíso

 

Após passar por problemas com denúncias sobre descarte descontrolado de lixo em aterro sanitário na cidade de São Sebastião do Paraíso, a situação foi enfim controlada. É esperado que, com as melhorias o aterro passe a ser administrado por um consórcio e deve receber 80 toneladas por dia de São Sebastião do Paraíso e outras seis cidades da região.

Entre as reformas, a administração trabalhou no aterramento da plataforma principal e o direcionamento do chorume para uma lagoa, o que evita a contaminação do solo. Há um ano e meio, o local era comparado a um lixão a céu aberto.

No local, poças de chorume se acumulavam ao redor do lixo descartado de forma incorreta. Com a adequação, o objetivo da administração foi atender a protocolos ambientais.

As seis cidades que fazem parte do consórcio são; Itamogi, São Tomás de Aquino, Monte Santo de Minas, Jacuí, Pratápolis e Fortaleza de Minas. Sendo o objetivo, ter mais recursos para ser realizado o descarte correto do lixo, sem danos ambientais.

Porém, a liberação do aterro para o grupo só deve acontecer após a aprovação de um projeto de lei com detalhes do contrato. Para a Secretaria Municipal do Meio Ambiente, a expectativa é que isso aconteça em até seis meses.

Enquanto isso, é preciso construir uma passarela emergencial de 10 mil metros quadrados de área para continuar recebendo os resíduos de São Sebastião do Paraíso. Isso porque a passarela/plataforma já existente já está praticamente esgotada.

Fonte: Portal Onda Sul / Foto: Reprodução / Portal Onda Sul

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *