Rapaz acusado injustamente de estupro há seis anos em Lavras foi inocentado

Uma mulher procurou a Policia Militar no dia 23 de abril de 2012 para denunciar um crime de estupro que, segundo ela, havia acontecido na noite anterior, no dia 22 de abril de 2012, há quase seis anos. A polícia registrou a queixa e o Ministério Público ofereceu denúncia de estupro contra Roni Peterson da Silva Matar, ele foi detido e ficou seis meses na prisão. No decorrer do tempo, Roni conseguiu provar sua inocência

A mulher que o havia denunciado por crime de estupro, no passado, teve um caso com ele e, segundo Roni, por razões de ciúmes e por vingança, ela inventou a história. Os dois se encontraram em um bar no bairro Jardim Glória, na noite do dia 22 de abril, eles conversaram e tiveram relação sexual. No dia seguinte ela procurou a polícia e o denunciou.

No dia 18 de setembro de 2012, cinco meses depois, ele foi inocentado. O juiz Célio Marcelino da Silva julgou improcedente a denúncia contra o acusado e o absolveu diante da fragilidade das provas apresentadas pela suposta vítima e incoerência de seus relatos. Diante da decisão, ele foi colocado em liberdade.

Acontece que Roni ficou marcado pela sociedade, o rapaz não consegue emprego e o estigma de estuprador tem sido um “fantasma” em sua vida, ele vive um pesadelo há quase seis anos e disse que não consegue se livrar do problema. Roni carrega no bolso a sentença que o inocentou para mostrar a quem precisar durante seus dias.

Ele procurou a reportagem do Jornal de Lavras e apresentou a sentença, contou a história e pediu que fosse feita uma notícia sobre ele e que fosse publicada a sua fotografia, isso, segundo ele, o ajudará a organizar sua vida, conseguir um emprego. A reportagem teve acesso ao processo e a sentença que o inocentou, diante disso, registramos o caso na tentativa de ajudá-lo.

Fonte: Jornal de Lavras / Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *