Presidente da ALMG quer ações preventivas contra queimadas

Agostinho Patrus disse que a Casa realizará audiência para conhecer ações do Corpo de Bombeiros e do Executivo estadual

Em entrevista coletiva, concedida nesta quarta-feira (28), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), o presidente da Casa, deputado Agostinho Patrus (PV), manifestou a sua preocupação com o aumento das queimadas no Estado. O parlamentar destacou que a ALMG vai se dedicar mais ao assunto e que já solicitou à Comissão de Meio Ambiente que realize audiência pública para debater o aumento de focos de incêndio em Minas Gerais.

O chefe do Parlamento mineiro ressaltou que o objetivo da audiência será conhecer ações de prevenção e combate às queimadas em Minas Gerais. Agostinho Patrus disse, ainda, que devem ser convidados para a reunião representantes do Corpo de Bombeiros e do Executivo Estadual.

“Muitas dessas queimadas acontecem na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o que traz preocupações não só com a fauna e a flora, mas também com a proximidade das moradias das pessoas. Não podemos deixar ocorrer aqui o que acontece em outros países, como nos Estados Unidos, sobretudo na Califórnia, em que as casas são queimadas”, alertou o presidente do Legislativo.

“Então, na próxima semana, vamos promover uma audiência pública, trazendo o secretário de Estado de Meio Ambiente e também o representante do Corpo de Bombeiros para que eles possam não só mostrar as ações que estão sendo feitas agora, mas também as preventivas, para que isso não volte a acontecer no próximo ano e não tenhamos crescimento das queimadas no Estado”, completou o parlamentar.

As queimadas às quais Agostinho Patrus se refere foram motivo de alertas do Corpo de Bombeiros e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que atestam o preocupante crescimento desse tipo de ocorrência no País e no Estado. Segundo o Inpe, os focos de incêndio no território nacional, neste mês de agosto, superam a média histórica. Só em Minas Gerais, foram 2.919 focos de janeiro até a última segunda-feira (26), contra 1.647 no mesmo período do ano passado. Só em agosto foram detectados 1.181 focos.

“Tão preocupante quanto a questão da Floresta Amazônica é a dos incêndios em Minas Gerais, como apontam os alarmantes índices deste ano. Focos de queimadas entre janeiro e agosto cresceram cerca de 77% em comparação ao mesmo período de 2018, segundo o Inpe”, concluiu Agostinho Patrus.

O Corpo de Bombeiros mineiro também alerta sobre o considerável aumento dos focos neste ano, em comparação com 2018. De janeiro a julho foram 8.928 ocorrências., 2.122 a mais do que no mesmo período do ano passado, um crescimento de 31%. Na RMBH, o crescimento é de 23%, 1.891 focos em 2019 contra 1.535 no ano passado.

Leia mais notícias no Portal da Assembleia

Fonte: Assessoria de Imprensa da ALMG / Foto: Clarissa Barçante

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *