Poços de Caldas ganha equipamento de prevenção a enchentes

Poços de Caldas, recebeu uma estação hidrológica para monitorar o Ribeirão Poços de Caldas. O equipamento de última geração monitora automaticamente a chuva, o vento e o nível do rio que corta a Avenida João Pinheiro e que, constantemente, é alvo de enchentes causadas pelas chuvas.

A instalação faz parte do projeto de desenvolvimento de um sistema de previsão de enxurradas, inundações e movimentos de massa em encostas para a prevenção de desastres naturais. A estação hidrológica, que é a primeira deste tipo na cidade, foi instalada sobre o Ribeirão Poços de Caldas, no entroncamento dos ribeirões de Caldas e da Serra, atrás do Parque José Affonso Junqueira.

Segundo o assessor da Defesa Social, o instrumento tecnológico funciona com sensor e registro de fotos e gravação de imagens, além de emitir alerta caso ultrapasse o limite estabelecido pela Defesa Civil.

“A população que mora ao longo da Avenida João Pinheiro, assim como os comerciantes que têm estabelecimentos comerciais ali [na avenida], podem ficar mais tranquilos, porque iremos monitorar o rio 24 horas por dia. Toda a população vai ter acesso a essas informações no site. Entrando lá, qualquer pessoa do Brasil pode acessar a cidade de Poços de Caldas e acompanhar o nível do rio, quanto de precipitação que ocorreu e, assim, como as imagens de hora em hora. Porque quando ele [os sistema] detecta que o rio está aumentando, as fotos vão aumentando a frequência até 10 minutos”, explicou Mauro Barbosa Filho, assessor da Defesa Civil.

Poços de Caldas foi atingida por grave enchente no início do ano (Foto: Reprodução EPTV)
Poços de Caldas foi atingida por grave enchente no início do ano (Foto: Reprodução EPTV)

Até então, o monitoramento do nível pluviométrico era feito apenas com a aferição do nível por régua e presença de funcionários em sete pontos no centro e bairros José Carlos, Bortolan, Jardim Aeroporto, Estância São José, Maria Imaculada e São José.

A estação foi fornecida pelo Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais), órgão vinculado ao Instituto de Pesquisas Espaciais do Governo Federal, com investimento de R$ 80 mil. A estação pode ser acompanhada online por meio do site (www.cemaden.gov.br), acessando mapa interativo, estação hidrológica e digitando o nome da cidade.

“Toda a população vai ter acesso a essas informações no site. Entrando lá, qualquer pessoa do Brasil pode acessar a cidade de Poços de Caldas e acompanhar o nível do Rio, quanto de precipitação que ocorreu e, assim, como as imagens de hora em hora. Porque quando ele [os sistema] detecta que o rio está aumentando as fotos vão aumentando a frequência até 10 minutos”, disse o assessor da Defesa Civil.

Enchente de grandes proporções
No dia 19 de janeiro deste ano, uma forte chuva deixou diversos pontos de alagamento em Poços de Caldas. A tempestade durou cerca de uma hora, mas foi o suficiente para deixar vários moradores ilhados em suas residências e locais de trabalho.

A tempestade durou cerca de uma hora, mas foi o suficiente para deixar vários moradores ilhados em suas residências e locais de trabalho. A água invadiu comércios, um hospital e deixou vários carros submersos em garagens subterrâneas.

A tempestade durou cerca de uma hora, mas foi o suficiente para deixar vários moradores ilhados em suas residências e locais de trabalho em Poços de Caldas (MG) (Foto: Reprodução Whatsapp)
A tempestade durou cerca de uma hora, mas foi o suficiente para deixar vários moradores ilhados em suas residências e locais de trabalho em Poços de Caldas (Foto: Reprodução Whatsapp)

Fonte: G1 Sul de Minas

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *