Perfil ‘fake’ usado para atacar vereadores é investigado

A Câmara Municipal de Santa Rita de Caldas, abriu uma investigação sobre a página “Zé Povinho”, criada em julho de 2015 em uma rede social, que tem como teor xingamentos e críticas aos vereadores do município. O caso foi parar no Ministério Público, e o motivo dos ataques seria um suposto gasto excessivo em viagens por parte dos parlamentares. A suspeita é de que as postagens tenham sido feitas usando a conexão da casa do prefeito da cidade.

Laudo aponta que página foi criada a partir de conexão da casa do prefeito de Santa Rita de Caldas (Foto: Reprodução EPTV)
Laudo aponta que página foi criada a partir de
conexão da casa do prefeito de Santa Rita de
Caldas (Foto: Reprodução EPTV)

Os vereadores pediram na Justiça a quebra do sigilo de dados, já que eles acreditam que o perfil que administra a página, com o nome de Alessandra Vítor Gimenes, seja falso. A resposta do provedor de internet surpreendeu os vereadores. A Nowtech Soluções Multimídia identificou que o endereço de IP usado para postar as mensagens é casa do prefeito da cidade, Ronaldo Tomé do Couto (PSD).

No ofício enviado á Justiça, a empresa informa também que as publicações foram feitas por meio de outros endereços de IP de conexões com empresas de telefonia e esclarece que, em relação ao endereço do prefeito, os acessos podem ter sido feitos por terceiros usando a conexão wi-fi, ou seja, sem fio.

O prefeito foi procurado para falar sobre o caso, mas até esta publicação, não havia sido localizado. O advogado dele, João Marcos Araújo, afirma que Ronaldo Tomé do Couto não sabe quem publicou ofensas na rede social.

“O prefeito desconhece essa informação. Pelo único documentos que nós tivemos acesso até agora, que a primeira página do laudo que consta no processo, ele não demonstra em hipótese alguma que o prefeito teria feito as postagens, ou que teria partido do celular dele ou do notebook. Tão somente esse laudo evidencia em um primeiro momento que partiu da rede de conexão de internet próxima à casa do prefeito. Mas ele desconhece quem teria feito isto e nega, portanto, a sua autoria”, esclareceu.

O teor das postagens e as reações dos vereadores
Nas postagens da página, os nove vereadores da Câmara Municipal de Santa Rita de Caldas são identificados pelas iniciais dos nomes ou por apelidos. Muitos deles se sentiram ofendidos pelo conteúdo.

O vereador José Lopes foi um deles. Em uma das postagens, ele é citado como ZL, que seria ‘Zé Lopes’. Nela, é levantada a suspeita de que ele poderia estar envolvido com roubo de gado.

“Os fregueses meus afastaram de mim, porque ficaram com medo, e dou razão para eles. Se fosse alguma coisa que fosse verdade… mas graças a Deus, nunca comprei criação sem guia nem comprei sem guia”, disse.

A vereadora Maria Inês Lima e Silva, que nos comentários aparece com as inicias MI, é prima do prefeito e se disse surpresa. “Pensei que podia ser alguém da prefeitura. A gente imaginava mil e uma coisas, mas nunca pensei que pudesse sair da casa dele”, comentou a vereadora.

O vereador José Afonso Dias, que tem o apelido de Zé Maroca, também ficou chateado com os comentários. “Falando que eu amarraria a minha mulher, que eu abandonei a minha ex-mulher, que eu batia nos meus filhos e deixava ela amarrada na cerca”, destacou.

O juiz da cidade, André Luiz Poludoro, aguarda informações de duas operadoras telefônicas para saber quais outros usuários publicaram as difamações contra os vereadores na página da rede social. Ele disse que os vereadores podem recorrer à Justiça para pedir indenização na área cível e também encaminhar o caso ao Ministério Público para abertura de processo criminal contra o prefeito.

Além disso, a discussão pode ser levada adiante dentro da Câmara, como destaca o assessor jurídico Antonione Melo Gonçalves. “Na câmara, a gente pode criar a CPI, que é a Comissão Parlamentar de Inquérito, para apurar a falta de decoro e possivelmente até a cassação dele”, comentou.

Vereadores se sentiram ofendidos pelo conteúdo das postagens (Foto: Reprodução EPTV)
Vereadores se sentiram ofendidos pelo conteúdo das postagens (Foto: Reprodução EPTV)

Fonte: G1 Sul de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *