II Mostra de Cinema de Fama recebeu mais de 300 filmes

A segunda edição da Mostra de Cinema de Fama, realizada entre os dias 27 e 29 de julho, consolidou a entrada definitiva do evento às margens da represa de Furnas para o circuito de festivais brasileiros que fomentam a sétima arte nacional e o turismo local.

E de um ano ao outro, o salto quantitativo e, sobretudo, qualitativo foi notável, com mais de 300 filmes inscritos de todo o país.

Como resultado, o público pôde conferir um panorama de curtas de grande apuro técnico e de linguagem, desde produções experimentais a outras com renomada equipe e elenco – a exemplo do prêmio de melhor ator, concedido a Tonico Pereira (“O Vestido de Myriam”), e melhor atriz, a Eva Wilma (“Minha Mãe, Minha Filha”).

O primeiro lugar ficou com “A Ponte”, de Rafael Câmara, que também faturou a melhordireção.

“Nesta segunda mostra, crescemos em vários aspectos, incluindo as atividades paralelas e o incentivo à produção regional”, conta Aryanne Ribeiro, coordenadora da mostra pela Gesto Produtora.

Neste sentido, foram promovidas duas oficinas com convidados de Minas, São Paulo, Rio de Janeiro e Vitória, ministradas por artistas como Anselmo Vasconcellos,  e uma inédita mesa sobre a Mulher no Cinema Brasileiro, contando com a atriz Paula Braun.

E esse fomento e estímulo ao cinema do sul de Minas já tem resultados visíveis, a exemplo do curta “A Pé da Branca”, que recebeu a menção honrosa na mostracompetitiva, e o filme convidado “Folia dos Pimentel”, ambos documentários rodados na região.

O evento foi realizado pela Prefeitura de Fama, com coordenação geral da Gesto Produtora e em parceria com o Circuito do Lago de Furnas.

A programação cultural deste ano também esteve totalmente alinhada ao olhar cinematográfico.

A abertura do festival contou com uma emocionante apresentação de Wagner Tiso, pianista natural de Três Pontas e premiado por inúmeras trilhas de destaque do cinema nacional, algumas delas interpretadas na ocasião.

Outro destaque desta edição foi o Casarão Paradiso (nome em homenagem ao livro “Mia, uma holandesa de pés descalços”, de Anselmo Vasconcellos) – a charmosa edificação histórica na praça de Fama recebeu poesia e promoveu o encontro entre artistas renomados, em início de carreira e público, que na II Mostra de Cinema de Fama foram acolhidos neste belo e estimulante cenário para a sétima arte do país e do sul de Minas.

Premiação

  • 1° lugar: A Ponte – Rafael Câmara;
  • 2° lugar: Pedacinhos do Céu – Caio Alvarenga;
  • 3° lugar: Escolhas – IvannWillig;
  • Melhor Direção: Rafael Câmara – A Ponte;
  • Melhor ator: Tonico Pereira – O Vestido de Myriam;
  • Melhor Atriz: Eva Wilma – Minha mãe, Minha Filha;
  • Melhor Atuação Revelação:

– Fernanda Petit –Kátharsis;

– Breno Augusto – Paraíso Insólito;

  • Aclamação do Público:

– Minha Mãe, Minha Filha – Alexandre Estevanato;

  • Menção Honrosa:  A Pé da Branca – João Gabriel Rodrigues;
  • Menção Honrosa/ Animação: Òpárá de Òsún: Quando Tudo Nasce – Pâmela Peregrino;
  • Menção Honrosa/Roteiro:  Ouroboros – Guilherme Andrade e Beatriz Pessoa;
  • Menção Honrosa Sul de Minas: Um Simples Papel – Patrick Moysés e Antônio Almeida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *