Idosa de 62 anos sofre tentativa de estupro em Três Pontas

A aposentada Dona Antônia Maria da Silva de 62 anos não se alimenta, não consegue dormir direito nem mesmo fazendo o uso de medicamentos depois que um afilhado dela de casamento tentou estuprá-la, no bairro Aristides Vieira, em Três Pontas.

O caso aconteceu na segunda-feira de Carnaval (4), mas foi na tarde desta quinta-feira (7), que ela procurou a Delegacia de Polícia Civil para registrar um boletim de ocorrências.

Ela saiu de casa no bairro Aristides Vieira por volta das 4 horas da tarde, a procura de um verdureiro, que havia lhe prometido arrumar um milho para ela fazer pamonha. Como não sabia onde o vendedor morava saiu perguntando. Foi quando parou no bar de uma conhecida, na Rua Marcílio Ferreira de Brito. Ela também não soube lhe informar. Foi lá que Dona Antônia se encontrou com seu afilhado de casamento. Ele pediu as bênçãos à ela e depois lhe ofereceu uma dose de cachaça. Inicialmente ela não quis, ele insistiu dizendo que não era para ela, sua madrinha, desfazer do afilhado. Ela então aceitou. Em seguida tomou um copo de cerveja com ele e não se lembra bem do que aconteceu. Acredita que tenha se embriagado e o suspeito então se aproveitou. Disse que a levaria em casa, mas antes de sair do bar, disse para que ela colocasse a mão no seu órgão genital.

Dona Antônia o recriminou dizendo que era viúva a nove anos e que não tem relação com nenhum outro homem. Mas o suspeito não desistiu.

Ele foi segurando a aposentada forte pelo braço, exigindo que eles fossem para um terreno baldio onde manteriam uma relação sexual. Quando ela se negava, o suspeito então a jogava no chão e a arrastava. No meio do caminho, o rapaz ainda mordeu nos seios de sua madrinha.

Perto da casa dela, ele então disse que iria até lá. Chegou na porta, ele a empurrou contra o muro, ela escorregou e só não bateu a cabeça porque seu neto estava assentado na porta. Foi o neto que espantou o rapaz e o fez ir embora.

As agressões que Dona Antônia sofreram, resultaram em hematomas nos braços e nas pernas. Ela denunciou o suspeito e espera por justiça. O seu medo, é que ele se vingue do seu neto e que faça isto com outras pessoas, como as netas que ele tem.

Fonte: Equipe Positiva / Foto: Reprodução Equipe Positiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *